Bancada do PCdoB diz que projeto do MEC amplia privatização do ensino

Para o líder do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA), a proposta lançada pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, reforça a postura da sua gestão que tem sido de tratar a Educação como mercadoria

Deputado Daniel Almeida
Deputado Daniel Almeida (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Portal Vermelho - O ministro da Educação, Abraham Weintraub, lançou nesta quarta-feira (17) o programa de gestão universitária “Future-se” pelo qual quer ampliar o investimento privado nas universidades brasileiras. Para o líder do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA), a proposta lançada pelo ministro reforça a postura da sua gestão que tem sido de tratar a Educação como mercadoria, “além de isentar o governo de um dos seus principais deveres: investir na educação”.

“Na tentativa de Justificar os cortes feitos na educação, o programa criado pelo governo busca expandir a participação de verbas privadas no orçamento universitário, colocando em risco a autonomia das universidades”, afirmou o líder comunista em sua conta no Twitter.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da Minoria na Câmara, avaliou que o projeto do governo é se descomprometer com o ensino. Com o “Future-se”, as instituições poderão fazer parcerias público-privadas (PPP's), ceder prédios, criar fundos com doações e até vender nomes de campi e edifícios, como em estádios.

“Vende seu patrimônio, bota no mercado futuro, no mercado de ações. Ele (governo) se descompromete, cede a organizações sociais para terceirização da universidade. Ao que parece, toda a lógica de mercado vai prevalecer dentro desta universidade, que terá limitado o acesso e oportunidade à grande massa de jovens do país”, disse.

O vice-líder do partido, deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE), avaliou que ainda não está clara qual é a proposta do novo programa para o ensino superior. “Mas uma coisa é certa: futuro ideal seria investir em políticas para garantir educação pública de qualidade para todos”, afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247