Barbosa: embate entre Senado e STF seria ‘início de processo de venezuelização’

Ex-presidente do STF Joaquim Barbosa disse ter ficado "aliviado" com a decisão do Senado em não bater de frente com a Corte no episódio que resultou na suspensão do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG); para Barbosa, o confronto "seria o fim da democracia no Brasil"; "Político revogando decisão judicial é coisa de ditadura", destacou

Ex-presidente do STF Joaquim Barbosa disse ter ficado "aliviado" com a decisão do Senado em não bater de frente com a Corte no episódio que resultou na suspensão do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG); para Barbosa, o confronto "seria o fim da democracia no Brasil"; "Político revogando decisão judicial é coisa de ditadura", destacou
Ex-presidente do STF Joaquim Barbosa disse ter ficado "aliviado" com a decisão do Senado em não bater de frente com a Corte no episódio que resultou na suspensão do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG); para Barbosa, o confronto "seria o fim da democracia no Brasil"; "Político revogando decisão judicial é coisa de ditadura", destacou (Foto: Paulo Emílio)

247 - O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa disse ter ficado "aliviado" com a decisão do Senado em não bater de frente com a Corte no episódio que resultou na suspensão do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Para Barbosa, o confronto "seria o fim da democracia no Brasil". "Seria o início de um processo de venezuelização", completou, segundo informa a colunista Mônica Bergamo, da Folha.

Para o ex-ministro, o Supremo deve ter sempre a última palavra em situações do gênero. "Político revogando decisão judicial é coisa de ditadura", destacou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247