Bernardinho acelera ritmo de campanha e já tem discurso de candidato

Bernardinho, ex-técnico da seleção de vôlei do Brasil, ainda não confirma sua candidatura, mas está em ritmo acelerado de campanha; Bernardinho, que saiu do PSDB para o Partido Novo, é cotado para disputar o cargo de governador ou de senador pelo Rio; Bernardinho relatou que tem encontrado pessoas que simpatizam com sua candidatura e lhe dizem: "Vou votar em você. Tô contigo".; "Tenho conversado com as pessoas. É um sistema contaminado. É preciso de todos para rompermos isso", disse

O técnico Bernardinho anuncia os convocados para defender a seleção masculina de vôlei. Foto: Alexandre Loureiro/ inovado
O técnico Bernardinho anuncia os convocados para defender a seleção masculina de vôlei. Foto: Alexandre Loureiro/ inovado (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-técnico da seleção brasileira de vôlei, Bernardo Rezende, o Bernardinho, afirmou que o receio de entrar num "sistema contaminado" como a política e a resistência de sua família são os fatores que contribuem para a indefinição de concorrer a um cargo eletivo no ano que vem.

Bernardinho, que saiu do PSDB para o Partido Novo, é cotado para disputar o cargo de governador ou de senador pelo Rio. Mas negou que seja pré-candidato, durante palestra de tom bem mais motivacional, corporativo - como costuma proferir a peso de ouro - do que com carga política. O treinador falou para cerca de 300 pessoas na Associação Comercial do Rio de Janeiro e disse que havia encontrado um "buraco " na agenda para atender um pedido do pai, ex-conselheiro da instituição.

Questionado pelo Valor se a preservação de sua imagem está pesando na decisão de entrar para a política, ele devolveu com outra pergunta: "Você não concorda?"

Em cima do muro, Bernardinho comparou a política a uma carvoaria, mas disse que é preciso que a população se una, tome responsabilidade, para superar a crise, porque "não há um salvador da pátria".

Bernardinho relatou que tem encontrado pessoas que simpatizam com sua candidatura e lhe dizem: "Vou votar em você. Tô contigo". Mas que isso não é suficiente. "É o que eu digo: o que significa 'Tô contigo'? Que você vai para a arquibancada torcer? Isso você faz para um time de vôlei, de futebol. É preciso que você desça da arquibancada e venha jogar. Vem pra quadra jogar comigo. Faça sua parte na comunidade, no seu condomínio. Se nós todos não fizermos, não vamos sair dessa situação. Alguém mais, seja quem for - eu ou outro -, será engolido pelo sistema. Tenho conversado com as pessoas. É um sistema contaminado. É preciso de todos para rompermos isso", disse.

As informações são de reportagem de Christian Klein no Valor.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247