Bernardinho acelera ritmo de campanha e já tem discurso de candidato

Bernardinho, ex-técnico da seleção de vôlei do Brasil, ainda não confirma sua candidatura, mas está em ritmo acelerado de campanha; Bernardinho, que saiu do PSDB para o Partido Novo, é cotado para disputar o cargo de governador ou de senador pelo Rio; Bernardinho relatou que tem encontrado pessoas que simpatizam com sua candidatura e lhe dizem: "Vou votar em você. Tô contigo".; "Tenho conversado com as pessoas. É um sistema contaminado. É preciso de todos para rompermos isso", disse

O técnico Bernardinho anuncia os convocados para defender a seleção masculina de vôlei. Foto: Alexandre Loureiro/ inovado
O técnico Bernardinho anuncia os convocados para defender a seleção masculina de vôlei. Foto: Alexandre Loureiro/ inovado (Foto: Giuliana Miranda)

247 - O ex-técnico da seleção brasileira de vôlei, Bernardo Rezende, o Bernardinho, afirmou que o receio de entrar num "sistema contaminado" como a política e a resistência de sua família são os fatores que contribuem para a indefinição de concorrer a um cargo eletivo no ano que vem.

Bernardinho, que saiu do PSDB para o Partido Novo, é cotado para disputar o cargo de governador ou de senador pelo Rio. Mas negou que seja pré-candidato, durante palestra de tom bem mais motivacional, corporativo - como costuma proferir a peso de ouro - do que com carga política. O treinador falou para cerca de 300 pessoas na Associação Comercial do Rio de Janeiro e disse que havia encontrado um "buraco " na agenda para atender um pedido do pai, ex-conselheiro da instituição.

Questionado pelo Valor se a preservação de sua imagem está pesando na decisão de entrar para a política, ele devolveu com outra pergunta: "Você não concorda?"

Em cima do muro, Bernardinho comparou a política a uma carvoaria, mas disse que é preciso que a população se una, tome responsabilidade, para superar a crise, porque "não há um salvador da pátria".

Bernardinho relatou que tem encontrado pessoas que simpatizam com sua candidatura e lhe dizem: "Vou votar em você. Tô contigo". Mas que isso não é suficiente. "É o que eu digo: o que significa 'Tô contigo'? Que você vai para a arquibancada torcer? Isso você faz para um time de vôlei, de futebol. É preciso que você desça da arquibancada e venha jogar. Vem pra quadra jogar comigo. Faça sua parte na comunidade, no seu condomínio. Se nós todos não fizermos, não vamos sair dessa situação. Alguém mais, seja quem for - eu ou outro -, será engolido pelo sistema. Tenho conversado com as pessoas. É um sistema contaminado. É preciso de todos para rompermos isso", disse.

As informações são de reportagem de Christian Klein no Valor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247