Bloqueio de recursos pode comprometer Marinha

O especialista de Relações Internacionais e pesquisador da Escola de Guerra Naval, Ricardo Cabral, afirmou que as medidas de contingenciamento de recursos das Forças Armadas vai afetar principalmente a Marinha; ele diz: "a economia dos oceanos atualmente é 19% do PIB brasileiro"; ele diz que o bloqueio pode comprometer seriamente a defesa marítima do país

Bloqueio de recursos pode comprometer Marinha
Bloqueio de recursos pode comprometer Marinha (Foto: Marinha dos EUA/Antonio Turretto Ramos)

Da Agência Russa Sputnik News - O governo informou em 7 de maio que vai realizar um bloqueio de R$ 5,8 bilhões no orçamento do Ministério da Defesa. A Sputnik Brasil conversou com pesquisador da Escola de Guerra Naval, Ricardo Cabral, sobre os impactos deste contingenciamento para a defesa do país.

De acordo com o ministério, o bloqueio não vai afetar as "atividades cotidianas" do setor.

Em entrevista à Sputnik Brasil, o especialista de Relações Internacionais e pesquisador da Escola de Guerra Naval, Ricardo Cabral, afirmou que as medidas de contingenciamento de recursos das Forças Armadas do Brasil "certamente" afetam a Defesa do país.

"Ela [economia dos oceanos] atualmente é 19% do PIB brasileiro. Isso foi calculado ano passado pela PUC-RS. E o que são esses 19%? é transporte, petróleo, gás, pesca, caça submarina, lazer, turismo, ou seja, todas as atividades que envolvem o mar. E isso é uma parte que a Marinha faz, ela protege essas atividades, regula, é uma autoridades marítima", argumentou o especialista.

De acordo com ele, a importância da Marinha compreende certas atividades que vão além da defesa do país.

"A Marinha faz muito mais do que só a Defesa. Ela trata do Meio Ambiente, trata das atividades marítimas, regula essa atividades, e isso [contingenciamento] prejudica imensamente [...] Ou seja, nós estamos falando de coisas muito mais abrangentes", observou.

"Um corte desta proporção, um valor absurdo, muito elevado, isso atrapalha o desenvolvimento do país, não só a defesa, e com impacto direto na economia", acrescentou Ricardo Cabral.

A decisão do governo brasileiro faz parte da estratégia do setor econômico do governo para cumprir com o decreto que estabelece um contingenciamento de cerca de R$ 30 bilhões, a mesma medida que atingiu a Educação, estabelecendo um corte de 30% no orçamento de universidades e institutos federais.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247