BNDES: 'imprensa manipula e distorce diálogo de Lula'

O BNDES divulgou nesta sexta (14), nota em que lamenta "tentativas, na imprensa e em redes sociais, de manipular e distorcer informações buscando envolver" a instituição em "algo supostamente nebuloso" a partir da divulgação do diálogo por telefone do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o executivo da Odebrecht Alexandrino de Salles Alencar; "A conversa não faz referência direta ao BNDES e tratou de um seminário sobre exportação que teve ampla participação do público interessado e cobertura da imprensa", diz o banco; conversa entre Lula e Alexandrino Alencar, diretor da Odebrecht, ocorreu no dia 15 de junho de 2015, quatro dias antes de o executivo ser preso; no grampo, Lula teria demonstrado preocupação com "assuntos do BNDES", de acordo com relatório da PF 

O BNDES divulgou nesta sexta (14), nota em que lamenta "tentativas, na imprensa e em redes sociais, de manipular e distorcer informações buscando envolver" a instituição em "algo supostamente nebuloso" a partir da divulgação do diálogo por telefone do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o executivo da Odebrecht Alexandrino de Salles Alencar; "A conversa não faz referência direta ao BNDES e tratou de um seminário sobre exportação que teve ampla participação do público interessado e cobertura da imprensa", diz o banco; conversa entre Lula e Alexandrino Alencar, diretor da Odebrecht, ocorreu no dia 15 de junho de 2015, quatro dias antes de o executivo ser preso; no grampo, Lula teria demonstrado preocupação com "assuntos do BNDES", de acordo com relatório da PF 
O BNDES divulgou nesta sexta (14), nota em que lamenta "tentativas, na imprensa e em redes sociais, de manipular e distorcer informações buscando envolver" a instituição em "algo supostamente nebuloso" a partir da divulgação do diálogo por telefone do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o executivo da Odebrecht Alexandrino de Salles Alencar; "A conversa não faz referência direta ao BNDES e tratou de um seminário sobre exportação que teve ampla participação do público interessado e cobertura da imprensa", diz o banco; conversa entre Lula e Alexandrino Alencar, diretor da Odebrecht, ocorreu no dia 15 de junho de 2015, quatro dias antes de o executivo ser preso; no grampo, Lula teria demonstrado preocupação com "assuntos do BNDES", de acordo com relatório da PF  (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou nesta sexta-feira (14), nota em que lamenta "tentativas, na imprensa e em redes sociais, de manipular e distorcer informações buscando envolver" a instituição em "algo supostamente nebuloso" a partir da divulgação do diálogo por telefone do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o executivo da Odebrecht Alexandrino de Salles Alencar.

"A conversa não faz referência direta ao BNDES e tratou de um seminário sobre exportação que teve ampla participação do público interessado e cobertura da imprensa", diz o banco.

Segundo o relatório policial, "na conversa, Lula e Alexandrino abordam sobre a temática do seminário promovido pelo Valor Econômico, intitulado de ''Uma agenda para Dinamizar a Exportação de Serviços'', já amplamente descrito neste relatório de análise de interceptação telefônica, tratando dos polêmicos financiamentos do BNDES às empreiteiras brasileiras, incluindo a Odebrecht".

Neste link matéria do 247 sobre o caso.

Leia a íntegra da nota:

"O BNDES lamenta tentativas, na imprensa e em redes sociais, de manipular e distorcer informações buscando envolver o Banco em algo supostamente nebuloso a partir da divulgação de um diálogo entre o ex-presidente Lula e um executivo da Odebrecht. A conversa não faz referência direta ao BNDES e tratou de um seminário sobre exportação que teve ampla participação do público interessado e cobertura da imprensa."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email