Bolsa Família terá reajuste em 2016, diz ministra

Ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, afirmou nesta segunda-feira, 4, que o Bolsa Família terá reajuste neste ano; recurso virá da previsão do Orçamento para 2016 de R$ 1,1 bilhão a mais em relação a 2015; "Existe a previsão de ter aumento no Bolsa Família, na casa de R$ 1 bilhão, que pode ser um pouquinho maior, dependendo do comportamento da economia", disse; ela criticou a emenda do senador Aécio Neves (PSDB-MG) que previa reajuste pelo índice de inflação medido pelo IPCA; "Não vamos nos meter nessa aventura"

 No programa Bom Dia Ministro, a ministra Tereza Campello fala sobre aumento de renda de beneficiários do Bolsa Família e construção de 5 mil cisternas em escolas rurais  (ElzaFiuza/Agência Brasi)l
No programa Bom Dia Ministro, a ministra Tereza Campello fala sobre aumento de renda de beneficiários do Bolsa Família e construção de 5 mil cisternas em escolas rurais (ElzaFiuza/Agência Brasi)l (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, assegurou nesta segunda-feira, 4, que o Bolsa Família terá reajuste neste ano. Campello não adiantou quando nem o percentual a ser concedido, mas afirmou que o recurso virá da previsão do Orçamento para 2016 de R$ 1,1 bilhão a mais em relação a 2015. 

"Existe a previsão de ter aumento no Bolsa Família, na casa de R$ 1 bilhão, que pode ser um pouquinho maior, dependendo do comportamento da economia", afirmou a ministra ao jornal O Globo.

Tereza Campello criticou a emenda do senador Aécio Neves (PSDB-MG), líder da oposição ao governo, à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que previa reajuste pelo índice de inflação medido pelo IPCA. "Me preocupa muito essa ideia de indexar o Bolsa Família à inflação, como queria o senador Aécio. Não vamos nos meter nessa aventura. O Bolsa Família não é salário e nem o substitui", afirmou Tereza.

A variação do benefício médio do Bolsa Família, entre janeiro de 2011 a junho de 2015, foi de 78,35%, e, segundo o governo, supera quatro índices de inflação no período, que variam de 27,95% a 45,78%.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247