Bolsonaro ameaça Lula com Lei de Segurança da ditadura militar

O titular do Poder Executivo, Jair Bolsonaro, incapaz de conviver com o contraditório e irritado com as falas de Lula desde que na última sexta-feira saiu da prisão, ameaça o ex-presidente com a Lei de Segurança Nacional, uma lei da ditadura militar para perseguir opositores

(Foto: Esq.: ABR / Dir: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro afirmou em entrevista ao site O Antagonista que pode se apoiar na Lei de Segurança Nacional contra declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), informa a Folha de S.Paulo.   

Irritado com as falas de Lula, Bolsonaro considera que elas podem ser motivo para acionar a Justiça assim que "tivermos mais do que certeza de que ele está nesse discurso para atingir os seus objetivos".  "Temos uma Lei de Segurança Nacional que está aí para ser usada. Alguns acham que os pronunciamentos, as falas desse elemento, que por ora está solto, infringem a lei. Agora, nós acionaremos a Justiça quando tivermos mais do que certeza de que ele está nesse discurso para atingir os seus objetivos", disse.  

Solto na última sexta-feira (8), Lula fez um discurso e gravou vídeos nos quais transmite uma mensagem de luta pelos direitos do povo, críticas ao governo Bilsonaro e à Operação Lava Jato.   

Bolsonaro se mostra irritado e demonstra que não tem nenhum espírito democrático. Ao contrário, saudosista da ditadura, defensor da tortura e da perseguição a oponentes, ameaça o ex-presidente Lula com a Lei de Segurança Nacional, uma lei dos tempos da ditadura.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247