Bolsonaro atrasou exoneração e Vélez não devolverá R$ 61 mil de auxílio-mudança

Demora na exoneração de Ricardo Vélez Rodrigues do MEC por parte do presidente Jair Bolsonaro fez com que o ex-ministro deixasse de devolver aos cofres públicos os R$ 61 mil que ele recebeu de auxílio-mudança. Vélez teria que devolver o dinheiro caso fosse exonerado antes de 90 dias no cargo.; "O ex-ministro poderá receber ainda mais cerca de R$ 60 mil para fazer a mudança de volta, caso retorne à cidade de Londrina, no Paraná, onde dava aulas", ressalta a jornalista Mônica Bergamo

Bolsonaro atrasou exoneração e Vélez não devolverá R$ 61 mil de auxílio-mudança
Bolsonaro atrasou exoneração e Vélez não devolverá R$ 61 mil de auxílio-mudança

247 - A jornalista Mônica Bergamo observa que a demora na exoneração de Ricardo Vélez Rodrigues do Ministério da Educação (MEC) por parte do presidente Jair Bolsonaro fez com que o ex-ministro deixasse de devolver aos cofres públicos os R$ 61 mil que ele recebeu de auxílio-mudança. Vélez teria que devolver o dinheiro caso fosse exonerado antes de 90 dias no cargo. A demissão, porém, era esperada há 15 dias.

"O ex-ministro poderá receber ainda mais cerca de R$ 60 mil para fazer a mudança de volta, caso retorne à cidade de Londrina, no Paraná, onde dava aulas", ressalta ela em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo.

Ela também ressalta que o economista Abraham Weintraub, que assumi a pasta no lugar de Vélez, foi um crítico ácido da reforma da Previdência apresentada pelo governo do ex-presidente Michel Temer ao Congresso.

Em 2016, Weintraub afirmou ser preciso "diferenciar o cara que trabalha no ar-condicionado, que tira férias, que tem plano de saúde, do cara que tá no sol. O frentista, o motorista de ônibus, o homem que tá na britadeira, chega nos 55 anos estropiado".

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247