Bolsonaro celebra recomendação da OMS sobre vacina não obrigatória: "começaram a acertar"

"A OMS se manifestou depois que eu já havia se manifestado, então dessa vez acho que eles estão se informando corretamente, talvez me ouvindo até né", disse Bolsonaro

(Foto: Reuters | Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro comemorou nesta quinta-feira (22) o parecer da Organização Mundial da Saúde (OMS) contrário à vacinação obrigatória da população contra a Covid-19.

Bolsonaro disse que a entidade "começou a acertar" e está "se informando melhor" sobre decisões acerca da pandemia. Ele se colocou, porém, como uma espécie de consultor ou influenciador da OMS ao dizer que a organização "talvez" tenha o escutado para só posteriormente determinar seu posicionamento. "A OMS se manifestou contra a obrigatoriedade da vacina e disse que é contra medidas autoritárias. A OMS se manifestou depois que eu já havia me manifestado, então dessa vez acho que eles estão se informando corretamente, talvez me ouvindo até né, então nós temos certeza que não voltaremos atrás nessa decisão". 

Bolsonaro ainda aproveitou para jogar mais lenha em sua briga com o governador de São Paulo, João Doria, que já expressou que pretende tornar a vacinação obrigatória no estado. "Realmente impor medidas autoritárias só para esses nanicos projetos de ditadores, como esse cara de São Paulo aí. Eu não ouvi dizer, e acho que vocês também, nenhum chefe de Estado do mundo dizendo que iria impor a vacina. Isso é uma precipitação, é mais uma maneira de levar terror à população, até porque tomar uma vacina que não tenha um certo tempo de comprovação científica fica muito difícil. Quando esse governador fala em vídeo que iria obrigar 40 milhões de paulistas a tomarem a vacina ele causa um pânico nesse pessoal, é um direito de cada um tomar ou não. É uma irresponsabilidade do governador porque não existe uma vacina ainda eficaz. Parabéns à OMS, começaram a acertar, estão começando a agora a se informar melhor antes de emitir um juízo".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247