Bolsonaro cogita se filiar a sigla de Valdemar, citado no mensalão

O destino partidário de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para concorrer ao Planalto em 2018 continua indefinido; apesar da expectativa, ele ainda não se filiou ao PEN (Partido Ecológico Nacional), rebatizado de "Patriota" para abrigá-lo; por sugestão de aliados, Bolsonaro ainda espera; segundo seus apoiadores, não está descartada a hipótese de se filiar a um partido que tem as digitais do ex-deputado condenado no mensalão Valdemar da Costa Neto: o Muda Brasil

Bolsonaro e Valdemar
Bolsonaro e Valdemar (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Vice-líder na corrida pela Presidência da República —com 16% das intenções de voto, segundo o Datafolha—, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) continua sem endereço partidário.

Em 9 de agosto, após intensos embates internos, ele recebeu do PSC autorização para deixar o partido sem ameaça de perda de mandato.

Mas não se filiou ao PEN (Partido Ecológico Nacional), rebatizado de "Patriota" para abrigá-lo. Por sugestão de aliados, Bolsonaro ainda espera. E, segundo seus apoiadores, não está descartada a hipótese de se filiar a um partido que tem as digitais do ex-deputado condenado no mensalão Valdemar da Costa Neto: o Muda Brasil.

Outra possibilidade à mesa é torcer para que o Supremo Tribunal Federal autorize o lançamento de candidaturas avulsas, sem filiação partidária. A partir desta quarta (4), a proposta entra em pauta no tribunal. Mas são remotas as chances de aprovação.

Apesar de avançadas as negociações com PEN, colaboradores de Bolsonaro insistem para que aguarde o registro do Muda Brasil na expectativa de uma aliança formal com o PR, o que lhe garantiria tempo de pouco mais de dois minutos no horário eleitoral.

As informações são de reportagem de Catia Seabra na Folha de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247