Bolsonaro defende 'impor' escolas cívico-militares para cidadão não depender de programas sociais

Jair Bolsonaro defendeu a imposição das escolas cívico-militares para as pessoas não dependerem de programas sociais "até morrer". O ocupante do Planalto não disse, porém, qual seria a relação que ele vê entre o atual modelo de escolas e a "dependência" de pessoas de programas sociais

(Foto: Antonio Cruz - ABR)

247 - Jair Bolsonaro defendeu nesta quinta-feira (5) a imposição das escolas cívico-militares para as pessoas não dependerem de programas sociais "até morrer". O ocupante do Planalto não disse, porém, qual seria a relação que ele vê entre o atual modelo de escolas e a "dependência" de pessoas de programas sociais. 

"Nós não queremos que essa garotada cresça e, no futuro, seja um dependente até morrer de programas sociais do governo", disse ele, que participou nesta quinta-feira (5), de uma cerimônia no Palácio do Planalto na qual lançou um programa que visa incentivar a criação de escolas cívico-militares. 

O Distrito Federal já adota a militarização em algumas unidades de ensino, e o governador Ibaneis Rocha (MDB) participou do evento no Planalto. Bolsoanro se dirigiu ao chefe do Executivo e declarou: "Temos aqui a presença física do nosso governador do DF, Ibaneis. Parabéns, governador, com essa proposta. Vi que alguns bairros tiveram votação e não aceitaram. Me desculpa, não tem que aceitar, não. Tem que impor." 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247