Bolsonaro defende 'limpa' no Ibama e ICMbio

Presidente Jair Bolsonaro afirmou que tratou com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a realização de "uma limpa" no Ibama e no ICMBio; "Uma das medidas tomadas e estudadas com ele [Salles] é fazer uma limpa no Ibama e no ICMBio", disse Bolsonaro durante um discurso voltado para o setor do agronegócio nesta segunda-feira (29); Bolsonaro também disse que determinou alterações na fiscalização e na aplicação de multas ambientais que, segundo ele, "serviam para retroalimentar uma fiscalização xiita, que buscava apenas atender nichos que não ajudavam o meio ambiente e muito menos aqueles que produzem"

Bolsonaro defende 'limpa' no Ibama e ICMbio
Bolsonaro defende 'limpa' no Ibama e ICMbio (Foto: Foto: Alan Santos/PR)

247 - O presidente Jair Bolsonaro afirmou que tratou com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a realização de "uma limpa" no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e no Instituto de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsáveis por atividades de fiscalização e preservação ambiental. "Uma das medidas tomadas e estudadas com ele [Salles] é fazer uma limpa no Ibama e no ICMBio", disse Bolsonaro durante um discurso voltado para o setor do Agronegócio nesta segunda-feira (29), na Agrishow, feira de tecnologia agropecuária, realizada em Ribeirão Preto (SP).

Desde que assumiu a pasta, Salles vem promovendo mudanças na estrutura das duas instituições, o que gerou uma série de crises que culminou na saída de gestores e na introdução de militares e policiais em cargos estratégicos dos dois institutos. As mudanças mais recentes no ICMBio dizem respeito a quatro pedidos de demissão de diretores apenas em abril. A primeira delas foi registrada em 16 de abril, quando o então presidente do ICMBio, Adalberto Eberhard, entregou o cargo. A demissão foi motivada após Salles ameaçar abrir um processo administrativo contra servidores do instituto que não haviam comparecido a um evento no qual ele estava presente.

Todos foram substituídos por militares que já haviam trabalhado com Salles durante sua gestão à frente da Secretaria de Meio Ambiente de São Paulo, no governo Geraldo Alckmin (PSDB). "Quando ele [Salles] anunciou há poucos dias à frente do ICMBio quatro integrantes da Polícia Militar, eu vibrei, porque eram pessoas que tiveram um passado junto ao batalhão florestal ou similares, tiveram ao lado de vocês", afirmou Bolsonaro em seu discurso. Ele destacou, ainda, que determinou mudanças no processo de fiscalização, como o repasse de orientações sobre a legislação ambiental antes da aplicação de multas.

"É isso que nós queremos. Como é de conhecimento dos senhores, em torno de 40% das multas aplicadas no campo, em grande parte, serviam para retroalimentar uma fiscalização xiita, que buscava apenas atender nichos que não ajudavam o meio ambiente e muito menos aqueles que produzem", disse Bolsonaro.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247