Bolsonaro descumpre ordem judicial e pode ser levado ao STF em função da crise na Amazônia

Em meio a hesitação diante da onde de incêndios na Amazônia, Jair Bolsonaro começa a ter problemas com a justiça. Ele descumpriu o prazo de 72 horas estipulado pelo poder judiciário para apresentar as medidas adotadas para controlar as queimadas na região da Amazônia. O processo pode acabar no STF.

(Foto: PR | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em meio a hesitação diante da onde de incêndios na Amazônia, Jair Bolsonaro começa a ter problemas com a justiça. Ele descumpriu o prazo de 72 horas estipulado pelo poder judiciário para apresentar as medidas adotadas para controlar as queimadas na região da Amazônia. O processo pode acabar no STF. 

A reportagem do portal Uol destaca que "a ordem partiu do juiz federal Rolando Valcir Espanholo, substituto da 21ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal. No dia 23 de agosto, ele determinou que o presidente apresentasse em 72 horas as medidas adotadas até aquele momento para controlar as queimadas."

O juiz afirmou: "considerando ser impossível não reconhecer a gravidade da situação humana e ambiental gerada pelos incêndios, julgo oportuno que os réus apresentem, no prazo de 72 horas (reduzido por conta da situação peculiar vivenciada), o real panorama da situação e as correspondentes medidas administrativas que estão sendo adotadas pelo Poder Público para controlar e/ou minimizar os efeitos adversos das queimadas reportadas nos autos."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247