Bolsonaro diz a estudante que corte nas verbas da educação 'não é por maldade'

Em resposta a aluno de escola rural do interior de Goiás, em uma videoconferência, o presidente Jair Bolsonaro disse que o corte de 30% dos investimentos feito pelo MEC é para "pagar dívidas de governos anteriores"

Bolsonaro diz a estudante que corte nas verbas da educação 'não é por maldade'
Bolsonaro diz a estudante que corte nas verbas da educação 'não é por maldade'

247 - Em uma videoconferência com diretores e alunos da escola Calunga I, uma comunidade quilombola localizada no município de Cavalcante, em Goiás, o presidente Jair Bolsonaro tentou justificar o corte de 30% das verbas do Ministério da Educação (MEC). Segundo ele, a medida  não ocorre por "maldade", mas porque é necessário pagar dívidas deixadas por governos anteriores.

A declaração foi dada em resposta a um aluno de uma escola, que perguntou se poderia contar com ele para mais investimentos na área.

"Outros governos contingenciaram, cortaram recursos no linguajar popular. Ninguém vai cortar recursos da educação por maldade, é que nós não temos como pagar as dívidas que o Brasil tem, que são muito grandes e por isso esse contingenciamento", afirmou.

A videoconferência foi para anunciar a marca de 1 milhão de alunos de comunidades distantes com conexão à internet em banda larga via satélite. Apesar de tentar justificar os cortes como forma de pagar "dívidas", Bolsonaro afirmou aos estudantes que o custo diário do satélite é de R$ 800 mil reais para os cofres públicos. 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247