Bolsonaro diz que FHC pagou R$ 200 mil para deputados votarem pela reeleição

A frase serviu para exemplificar a relação de “toma lá da cá” do governo Temer para aprovar a Reforma da Previdência; o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) citou o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB); “É igual o que aconteceu no governo Fernando Henrique Cardoso quando foi votada a PEC da reeleição. Eu pensei em votar favorável, mas quando pintou 200 mil, pagos pelo governo FHC, eu tirei o time fora, votei contra”, afirmou o deputado

A frase serviu para exemplificar a relação de “toma lá da cá” do governo Temer para aprovar a Reforma da Previdência; o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) citou o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB); “É igual o que aconteceu no governo Fernando Henrique Cardoso quando foi votada a PEC da reeleição. Eu pensei em votar favorável, mas quando pintou 200 mil, pagos pelo governo FHC, eu tirei o time fora, votei contra”, afirmou o deputado
A frase serviu para exemplificar a relação de “toma lá da cá” do governo Temer para aprovar a Reforma da Previdência; o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) citou o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB); “É igual o que aconteceu no governo Fernando Henrique Cardoso quando foi votada a PEC da reeleição. Eu pensei em votar favorável, mas quando pintou 200 mil, pagos pelo governo FHC, eu tirei o time fora, votei contra”, afirmou o deputado (Foto: Leonardo Lucena)

Revista Forum - A frase serviu para exemplificar a relação de “toma lá da cá” do governo Temer para aprovar a Reforma da Previdência.  O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), em entrevista nesta segunda-feira (5), ao programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, citou o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB):

“É igual o que aconteceu no governo Fernando Henrique Cardoso quando foi votada a PEC da reeleição. Eu pensei em votar favorável, mas quando pintou 200 mil, pagos pelo governo FHC, eu tirei o time fora, votei contra”, afirmou o deputado.

Sobre a Reforma da Previdência, ele disse que “quem votar sim e não levou (sic) nada é otário”. “Tem cara honesto que quer votar até favorável (à reforma), é direito dele, mas que diz que vai votar contra porque não quer a pecha de corrupto.”

A assessoria do Planalto foi procurada, mas não quis comentar as declarações de Bolsonaro.

Por meio de nota, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que nem o seu governo, nem o PSDB se envolveram em casos de compra de votos. Ele disse também que “houve processos na Câmara para comprovar as acusações e o governo deu total apoio às apurações”.

Mais diretamente sobre a entrevista do deputado, FHC disse: “Espanta-me que o deputado, havendo sabido até de valores não tenha denunciado o fato na época e só agora, vinte anos depois, venha com esta conversa.”

*Com informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247