Bolsonaro empobrece o Censo e deixa o país sem alvo para políticas públicas, diz ex-presidente do IBGE

A ex-presidente do IBGE Wasmália Socorro Barata Bivar, em entrevista à TV 247, criticou o empobrecimento do Censo, principal fonte de referência para o conhecimento das condições de vida da população, a ser realizado em 2020; “O Censo é um projeto que levanta informações que são fundamentais para que você localize o objeto da política pública, mas também localize seus mercados”, disse Wasmália; assista

247 - A ex-presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Wasmália Socorro Barata Bivar falou à TV 247 sobre o descrédito dado pelo governo ao Censo, pesquisa realizada pelo instituto a cada dez anos e principal fonte de referência para o conhecimento das condições de vida da população. O governo realizou cortes no questionário do Censo que, em 2010, contava com 112 perguntas e, em 2020, contará com 76.

Wasmália salientou que a pesquisa fornece informações úteis ao longo de uma década para diversas áreas do conhecimento. “Esse esforço que é realizado pelo IBGE a cada 10 anos estrutura um conjunto de informações que são fundamentais por uma década, é um investimento de fornecer informações para tantas áreas, especialmente as políticas das áreas sociais, então eu vejo com muita preocupação a forma como o projeto Censo está sendo conduzido desde a posse da nova presidente do IBGE”.

A ex-presidente relembrou a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, na cerimônia de posse da nova presidente o IBGE, Susana Cordeiro Guerra. “Em fevereiro deste ano, o ministro Guedes foi ao IBGE dar posse à nova presidência e declarou, textualmente, que quem pergunta acaba encontrando coisas que nem mesmo estava interessado em descobrir. Então, já começa com uma postura muito equivocada e já dizendo coisas como: o questionário do Censo é muito grande, precisava ser cortado, que o Censo dos países levantam apenas 10 questões, o que é uma inverdade”.

Para Wasmália, os cortes no Censo fazem com que fique mais difícil identificar o alvo das políticas públicas no Brasil. “O Censo é um projeto que levanta informações que são fundamentais para que você localize o objeto da política pública, mas também localize seus mercados. Quando eu empobreço o Censo, em termos de informação, e não tenho nada para colocar no lugar - e é isso que está acontecendo -, deixo de ter informações que vão localizar o alvo das políticas públicas”.

Inscreva-se a TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247