Bolsonaro fracassa em plano para indicar filho embaixador e defende recuo

Em Tóquio, onde inicicou nesta segunda-feira um giro pela Ásia e Oriente Médio, Jair Bolsonaro praticamentte admitiu que fracassou no plano para nomear seu filho Eduardo embaixador nos Estados Unidos e defendeu não indicar seu nome. Ressalvou apenas que a decisão cabe a Eduardo

Trump, Eduardo e Jair Bolsonaro
Trump, Eduardo e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

247 - Em reportagem na Folha de S.Paulo, o jornalista Gustavo Uribe informa de Tóquio que Jair Bolsonaro opinou nesta terça-feira (22), noite de segunda-feira (21) no Brasil, que é mais estratégico que seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (SP), abra mão da indicação como embaixador nos Estados Unidos e permaneça no Brasil para “ver o que pode catar de caco” na guefra interna do PSL. 

 “Obviamente, isso o Eduardo vai ter de decidir nos próximos dias, talvez antes de eu voltar ao Brasil”, disse. “No meu entender, [o mais estratégico] é ele ficar no Brasil, até para pacificar o partido e ver o que pode catar de caco, porque teve gente que foi para o excesso. É igual um casal, chega um ponto de um problema que não tem mais retorno por parte de alguns", disse.  

Caso Eduardo decida permanecer no Brasil, a ideia é nomear como embaixador nos Estados Unidos o diplomata Nestor Forster, inicialmente cotado para o posto e amigo do escritor Olavo de Carvalho.  "Nós temos lá o Nestor Forster. Ele é é um bom nome. Obviamente, o Eduardo desistindo que eu mande o nome dele ao Senado, tendo em vista a importância na politica dentro do partido, o Forster é um bom nome para ser consolidado lá", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247