Bolsonaro joga a toalha sobre teto: “a ideia de furar teto existe, o pessoal debate. Qual é o problema?”

Um dia depois de defender o teto de gastos, Bolsonaro relativizou o tema. Ele diz que, em casos emergenciais, o Brasil pode furar sim o teto de gastos, como, por exemplo, no combate à pandemia do novo coronavírus e em outras obras

(Brasília - DF, 12/08/2020) Presidente Jair Bolsonaro acompanhado do Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do Presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, de Parlamentares e Ministros durante declaração à imprensa no Palácio da Alvorada.
(Brasília - DF, 12/08/2020) Presidente Jair Bolsonaro acompanhado do Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do Presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, de Parlamentares e Ministros durante declaração à imprensa no Palácio da Alvorada. (Foto: Carolina Antunes/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro muda de opinião como quem muda de roupa. Ontem, o ex-capitão fazis defesa intransigente do teto de gastos. Hoje, ele afirma ser possível relativizar o conceito: "A ideia de furar teto existe, o pessoal debate. Qual é o problema?” 

Leia mais aqui. 

Bolsonaro ainda disse: “na pandemia, temos a PEC de Guerra. 'Presidente, nós já furamos o teto em mais ou menos R$ 700 bilhões, dá para furar mais R$ 20 bilhões?' Qual a justificativa? Se for para vírus, não tem problema nenhum"

A reportagem do portal Uol destaca que “o presidente não citou nominalmente representantes de outros Poderes. No entanto, há dois dias, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que não aceitaria "jeitinho" para furar o teto de gastos.”

A matéria ainda informa que “o teto de gastos é uma regra prevista na Constituição Federal, para impedir que as despesas do orçamento do Brasil cresçam em ritmo superior ao da inflação. No anúncio de ontem, Bolsonaro estava ao lado do próprio Maia.”

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247