Bolsonaro muda tom e diz que decisão sobre máscara cabe a Queiroga, governadores e prefeitos

Bolsonaro havia ordenado Marcelo Queiroga a editar um parecer desobrigando o uso de máscara para vacinados ou infectados

Marcelo Queiroga e Jair Bolsonaro
Marcelo Queiroga e Jair Bolsonaro (Foto: Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após ter ordenado o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a editar um parecer que desobrigue o uso de máscara de proteção contra o novo coronavírus por brasileiros já vacinados ou infectados, Jair Bolsonaro disse que caberá ao ministro, prefeitos e governadores dar a palavra final sobre o tema. 

"Ontem [quinta-feira (10)] pedi para o ministro da Saúde fazer um estudo sobre máscara. Quem já foi infectado e quem tomou a vacina não precisa usar máscara. Mas quem vai decidir é ele, vai dar um parecer. Se bem que quem decide na ponta da linha é governador e prefeito", disse Bolsonaro a jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada antes de embarcar para uma agenda no Espírito Santo, segundo a Folha de S.Paulo

O presidente ainda reclamou de decisões do STF (Supremo Tribunal Federal): "Eu não apito nada, né? Segundo o Supremo, quem manda são eles. Mas nada como você estar em paz com a sua consciência". 

Pouco após o anúncio do possível parecer, Queiroga disse que a medida está em "estudo".

Especialistas avaliam que a medida é temerária neste momento e que os cuidados devem ser mantidos mesmo após a imunização. “Não tem nenhum sentido. É uma orientação apenas política porque não tem nenhuma justificativa médica para isso. Mesmo a pessoa que já teve ou que já foi vacinada não está livre de se reinfectar. Enquanto estiver circulando o vírus neste nível alto, não existe essa possibilidade. Neste momento é temerário”, disse ao G1 Munir Ayub, membro do Comitê de Imunização da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e professor de Infectologia da Faculdade de Medicina do ABC.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email