Bolsonaro não protege vidas nem a economia, diz economista do FMI

O ex-economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, critica a atitude de desleixo de Bolsonaro com o coronavírus e considera que isto vai custar caro ao Brasil. Em entrevista, o economista diz ainda que o ocupante do Palácio do Planalto não cuida tampouco da economia, o que vai gerar perda de renda para os brasileiros

(Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O professor da Universidade da Califórnia, em Berkeley, Maurice Obstfeld, que foi economista-chefe do FMI entre 2015 e 2018, diz que a atitude de Bolsonaro para com a covid-19 pode levar a uma segunda onda de infecção ou a um confinamento mais severo mais na frente. 

O economista adverte para os efeitos disso na vida econômica. "As pessoas podem não ser capazes ou não ter vontade de participar integralmente da economia, se elas estiverem doentes ou temerem a infecção.” 

Em entrevista ao Valor Econômico, o economista prevê que a economia brasileira pode encolher mais do que os 5,3% projetados neste ano pelo FMI por causa da resposta do presidente brasileiro à crise do coronavírus. 

Obstfeld classifica como "desdenhosa” a resposta de Bolsonaro à pandemia da covid-19. E adverte para os efeitos dessa atitude tanto para a saúde dos brasileiros como para a economia. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247