Bolsonaro nomeou Aras para barrar movimentos de Dodge na PGR

Jair Bolsonaro teve a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, como um dos parâmetros para não respeitar a lista tríplice e indicar Augusto Aras à chefia da PGR. O ocupante do Planalto não gostou das nomeações antecipadas por ela para preencher cargos de chefia em procuradorias regionais

(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

247 - Jair Bolsonaro teve a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, como um dos parâmetros para não respeitar a lista tríplice e indicar Augusto Aras à chefia da PGR. De acordo com informações da Coluna do Estadão, o ocupante do Planalto "não gostou das nomeações antecipadas por ela para preencher cargos de chefia em procuradorias regionais que só serão ocupados a partir do mês que vem". 

"Aras já sinalizou a seus aliados que pode rever as nomeações feitas por Dodge", diz o texto.

Bolsonaro preferiu não deixar espaço para que Dodge fizesse novas nomeações no período em que estará se recuperando.

A coluna reforça que, durante entrevistas, Aras disse que traria os procuradores Eitel Santiago e Ailton Benedito para sua equipe, vistos como bolsonaristas de raiz.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247