Bolsonaro pode ser punido por uso preconceituoso do termo "paraíbas"

A postura preconceituosa do presidente Jair Bolsonaro ao usar o termo "paraíbas" pejorativamente para se referir à população nordestina é passível de punição pela lei, de acordo com a opinião de linguistas e advogados

(Foto: Alan Santos/PR)

247 - A postura preconceituosa do presidente Jair Bolsonaro ao usar o termo "paraíbas" pejorativamente para se referir à população nordestina é passível de punição pela lei, de acordo com a opinião de linguistas e advogados.   

A informação é da Folha de S.Paulo, que destaca que a origem do termo está ligada à maciça imigração de nordestinos para o Sudeste, especialmente de baianos para São Paulo e paraibanos ao Rio de Janeiro.   

Depois de ter agredido os nordestinos com o uso do termo "paraíbas", Bolsonaro negou que tenha usado a expressão de forma pejorativa. 

Na terça-feira (23), em Vitória da Conquista (BA), disse demagogicamente que "somos todos paraíbas, somos todos baianos".   

Segundo Dante Lucchesi, professor de letras na UFF (Universidade Federal Fluminense) e referência na área de sociolinguística, ouvido pelo jornal, “o termo ‘paraíba’ é carregado de preconceito no Rio de Janeiro”, onde Bolsonaro, que é paulista, se radicou. “Nesse caso, é claramente um termo pejorativo que reflete uma postura preconceituosa, lamentavelmente por parte do presidente, que devia representar todos os brasileiros.”  

Especialistas ouvidos pela Folha de S.Paulo assinalam que o uso da palavra “paraíba” pode configurar crime, caso ocorra em um contexto que busque ofender.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247