Bolsonaro: "Querem me tachar de genocida. Quem que eu matei?"

Bolsonaro declarou a apoiadores que não se vê como responsável pelas quase 200 mil mortes pela Covid-19. Ao invés, o presidente buscou responsabilizar a imprensa pela crise: "A imprensa não tem o que fazer, daí fica 'falta seringa, incompetência'. Queria que eu comprasse superfaturado para ser tachado agora de corrupto", disse

Jair Bolsonaro e enterro de pessoas mortas por covid-19
Jair Bolsonaro e enterro de pessoas mortas por covid-19 (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro não se vê como responsável pelas quase 200 mil mortes pela Covid-19 no Brasil, mesmo tendo em diversas ocasiões burlado o distanciamento social e minimizado a seriedade da pandemia.

A apoiadores, Bolsonaro afirmou: "Querem me tachar de genocida. Quem que eu matei? Muito pelo contrário. Eu, com as minhas medidas, sugeri tratamento precoce. Evitamos muitas mortes".

O presidente ainda buscou responsabilizar a imprensa pela crise: "A imprensa não tem o que fazer, daí fica 'falta seringa, incompetência'. Queria que eu comprasse superfaturado para ser tachado agora de corrupto", disse.

"Agora estão dizendo que vai faltar seringa, como nós estamos segurando para Covid, vai faltar seringa para outras doenças. São canalhas", acrescentou.

As informações foram reportadas na Folha de S.Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247