Boulos: cenário atual impulsiona atos contra o golpe

Líder do MTST acredita que o fracasso das manifestações do último domingo, pela saída da presidente Dilma do governo, e a operação da PF contra Eduardo Cunha, deflagrada hoje, "devem impulsionar" os protestos marcados para esta quarta-feira 16, contra o golpe e pelo 'Fora, Cunha'; Guilherme Boulos espera cerca de 50 mil pessoas no ato da capital paulista; ao 247, Boulos disse ainda que a Frente Povo Sem Medo, liderada por ele, está unida em uma posição contra o impeachment, aprovada por consenso

Líder do MTST acredita que o fracasso das manifestações do último domingo, pela saída da presidente Dilma do governo, e a operação da PF contra Eduardo Cunha, deflagrada hoje, "devem impulsionar" os protestos marcados para esta quarta-feira 16, contra o golpe e pelo 'Fora, Cunha'; Guilherme Boulos espera cerca de 50 mil pessoas no ato da capital paulista; ao 247, Boulos disse ainda que a Frente Povo Sem Medo, liderada por ele, está unida em uma posição contra o impeachment, aprovada por consenso
Líder do MTST acredita que o fracasso das manifestações do último domingo, pela saída da presidente Dilma do governo, e a operação da PF contra Eduardo Cunha, deflagrada hoje, "devem impulsionar" os protestos marcados para esta quarta-feira 16, contra o golpe e pelo 'Fora, Cunha'; Guilherme Boulos espera cerca de 50 mil pessoas no ato da capital paulista; ao 247, Boulos disse ainda que a Frente Povo Sem Medo, liderada por ele, está unida em uma posição contra o impeachment, aprovada por consenso (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O coordenador nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto), Guilherme Boulos, afirmou ao 247 nesta terça-feira 15 que tem expectativa de que os protestos marcados para esta quarta-feira 16, em defesa da democracia e pelo saída de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ganhem força depois da operação da Polícia Federal deflagrada hoje e após o fracasso dos protestos do último domingo, em defesa do impeachment.

"Eu acho que tanto o fracasso dos atos de domingo quanto a operação de hoje devem impulsionar para amanhã. Mesmo para setores que são a favor do impeachment e que querem a saída da Dilma, está difícil ir para a rua legitimar um processo liderado pelo Cunha, totalmente sem legitimidade", diz Boulos, que espera cerca de 50 mil pessoas no ato de São Paulo, marcado para as 17h no vão livre do Masp, na Avenida Paulista.

Segundo Boulos, a Frente Povo Sem Medo, liderada por ele, está totalmente unida em uma posição contra o impeachment. Alguns movimentos da Frente decidiram não participar do ato desta quarta-feira, explicou, mas todos formaram consenso e aprovaram uma posição contrária ao processo de impedimento da presidente. O líder do MTST negou que tenha havido qualquer racha na Frente ou algum tipo de adesão à Frente Brasil Popular, como foi divulgado pelo 247.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email