Boulos critica decreto de Bolsonaro: mais armas, mais violência

"Nos EUA, 2.715 crianças morrem por ano por armas de fogo. O índice dos estados que tem legislação mais permissiva a posse e porte é 2 vezes maior que os estados com legislação restritiva às armas. Mais armas, mais violência", afirmou o coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos

Boulos critica decreto de Bolsonaro: mais armas, mais violência
Boulos critica decreto de Bolsonaro: mais armas, mais violência

247 - O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, criticou o decreto assinado na manhã desta terça-feira (15) pelo presidente Jair Bolsonaro e que flexibiliza a posse de armas.

"Nos EUA, 2.715 crianças morrem por ano por armas de fogo. O índice dos estados que tem legislação mais permissiva a posse e porte é 2 vezes maior que os estados com legislação restritiva às armas. Mais armas, mais violência", disse Boulos no Twitter.

Dentre as condições para ter a posse de armas estão idade mínima de 25 anos, justificar a "efetiva necessidade" de ter uma arma, não estar respondendo a inquérito policial ou processo criminal nem ter antecedentes criminais nas justiças Federal, Estadual (incluindo juizados), Militar e Eleitoral.

O cidadão também precisa comprovar aptidão psicológica e técnica para comprar a arma, apresentar foto 3 x 4, cópias autenticadas ou original e cópia de RG e CPF, e comprovante de residência.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247