Boulos desponta como liderança decisiva na cena pós-Bolsonaro

A chegada ao poder de um agente da extrema direta começa a mobilizar a imensa rede de movimentos sociais constituída no Brasil desde os anos 50; a tendência é a de que, à revelia das intenções do novo governo - que quer sufocá-los o quanto antes -, os movimentos cresçam e voltem a ser protagonistas do processo político brasileiro, como nos anos 80 e 90; o nome que desponta nesse horizonte é o de Guilherme Boulos, líder nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e ex-candidato à Presidência da República. Junto ao MST (Movimento dos Sem Terra) e à UNE (União Nacional dos Estudantes), há forte movimentação jurídica para se defender dos ataques que virão do novo governo

Boulos desponta como liderança decisiva na cena pós-Bolsonaro
Boulos desponta como liderança decisiva na cena pós-Bolsonaro (Foto: Mídia NINJA)

247 - A chegada ao poder de um agente da extrema direta começa a mobilizar a imensa rede de movimentos sociais constituída no Brasil desde os anos 50. A tendência é a de que, à revelia das intenções do novo governo - que quer sufocá-los o quanto antes -, os movimentos cresçam e voltem a ser protagonistas do processo político brasileiro, como nos anos 80 e 90. O nome que desponta nesse horizonte é o de Guilherme Boulos, líder nacional do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e ex-candidato à Presidência da República. Junto ao MST (Movimento dos Sem Terra) e à UNE (União Nacional dos Estudantes), há forte movimentação jurídica para se defender dos ataques que virão do novo governo.

A reportagem da coluna de Mônica Bergamo no jornal Folha de S. Paulo destaca que "Guilherme Boulos e lideranças de organizações como MST e UNE, se reuniram com advogados e parlamentares em SP na segunda (29)".

E acrescenta que "os defensores vão formar um grupo para defender os movimentos em ações que, imaginam, vão se multiplicar sob Bolsonaro".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247