Boulos: “dia 24 vamos tomar as ruas pela democracia”

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos, manifestou sua posição contra a caçada judicial ao ex-presidente Lula; "Dia 24 de janeiro vamos tomar as ruas pela democracia. MTST participará das mobilizações contra a perseguição judicial a Lula e pelo direito de sua candidatura. Estaremos nos atos de Porto Alegre, São Paulo e em várias cidades brasileiras contra este novo passo do golpe", disse o ativista, possível candidato à presidência da República pelo Psol

Boulos: “dia 24 vamos tomar as ruas pela democracia”
Boulos: “dia 24 vamos tomar as ruas pela democracia”

247 - O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos, manifestou sua posição contra a caçada judicial ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que será julgado em segunda instância jurídica, pelo Tribunal Regional Federal da 4 Região, com sede em Porto Alegre (RS). "Dia 24 de janeiro vamos tomar as ruas pela democracia. MTST participará das mobilizações contra a perseguição judicial a Lula e pelo direito de sua candidatura. Estaremos nos atos de Porto Alegre, São Paulo e em várias cidades brasileiras contra este novo passo do golpe", disse no Twitter o ativista, possível candidato à presidência da República pelo Psol.

Líder em todas as pesquisas eleitorais, Lula foi condenado sem provas pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão. De acordo com denúncia do Ministério Público Federal, feita em setembro de 2016, o petista recebeu R$ 3,7 milhões em benefício próprio da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012, através de um triplex no Guarujá (SP).

Mas o curioso é que um dos procuradores, Henrique Pozzobon admitiu não existir "prova cabal" de que o petista é "proprietário no papel" do tripléx. "Precisamos dizer desde já que, em se tratando da lavagem de dinheiro, ou seja, em se tratando de uma tentativa de manter as aparências de licitude, não teremos aqui provas cabais de que Lula é o efetivo proprietário no papel do apartamento, pois justamente o fato de ele não figurar como proprietário do tríplex, da cobertura em Guarujá é uma forma de ocultação, dissimulação da verdadeira propriedade", disse o procurador.

Nove meses antes, em janeiro, o ex-presidente havia publicado no site do Instituto Lula um dossiê completo em que disponibiliza todos os documentos referentes ao apartamento. Foram publicados seus contratos com a Bancoop, sua declaração de Imposto de Renda, a declaração de bens ao Tribunal Superior Eleitoral e os contratos que compravam a desistência da ex-primeira-dama Marisa Letícia em continuar com o imóvel. (Leia mais aqui, inclusive, os documentos).

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247