Boulos: Eduardo Bolsonaro irá responder na Justiça por fake-news

Líder do MTST e presidenciável pelo Psol, Guilherme Boulos, compartilhou no Twitter um post do deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ), mas com a expressão "fake-news"; Boulos diz que o parlamentar "tenta fazer uso político da tragédia. Irá responder judicialmente"; segundo Bolsonaro, o prédio que desabou na cidade de São Paulo foi invadido por membros do MTST; depois, o congressista escreveu: "Confundir o MTST com o MLSM (Movimento de Luta Social por Moradia) é o mesmo que confundir CV com PCC, no final das contas é tudo crime"

Líder do MTST e presidenciável pelo Psol, Guilherme Boulos, compartilhou no Twitter um post do deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ), mas com a expressão "fake-news"; Boulos diz que o parlamentar "tenta fazer uso político da tragédia. Irá responder judicialmente"; segundo Bolsonaro, o prédio que desabou na cidade de São Paulo foi invadido por membros do MTST; depois, o congressista escreveu: "Confundir o MTST com o MLSM (Movimento de Luta Social por Moradia) é o mesmo que confundir CV com PCC, no final das contas é tudo crime"
Líder do MTST e presidenciável pelo Psol, Guilherme Boulos, compartilhou no Twitter um post do deputado Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ), mas com a expressão "fake-news"; Boulos diz que o parlamentar "tenta fazer uso político da tragédia. Irá responder judicialmente"; segundo Bolsonaro, o prédio que desabou na cidade de São Paulo foi invadido por membros do MTST; depois, o congressista escreveu: "Confundir o MTST com o MLSM (Movimento de Luta Social por Moradia) é o mesmo que confundir CV com PCC, no final das contas é tudo crime" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e pré-candidato a presidente da República pelo Psol, Guilherme Boulos, afirma que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ) irá responder na Justiça por promover fake-news.

"Eduardo Bolsonaro promove fake news e tenta fazer uso político da tragédia. Irá responder judicialmente", escreveu o presidenciável no Twitter.

De acordo com o parlamentar, filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ), o prédio que desabou na madrugada desta terça-feira (1) na cidade de São Paulo foi invadido por membros do MTST. Depois, o congressista escreveu: "Confundir o MTST com o MLSM (Movimento de Luta Social por Moradia) é o mesmo que confundir CV com PCC, no final das contas é tudo crime".

Um incêndio de grandes proporções atingiu dois edifícios no largo do Paissandu, centro de São Paulo. Um dos prédios desabou após o incêndio. O inquérito do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) que apurava riscos ligados ao edifício que desabou foi arquivado em 18 de março deste ano, mas o órgão reabriu o inquérito.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247