Boulos: “hipócritas julgando hipócritas”

Líder do MTST e provável candidato a presidente pelo PSOL, Guilherme Boulos, criticou o deputado Rubens Bueno (PPS-PR), relator do projeto que tenta limitar os "penduricalhos" nos salários de servidores, por receber auxílio-moradia da Câmara mesmo morando em um flat em nome da esposa; "Hipócritas julgando hipócritas. O relator do projeto que deveria acabar com os privilégios também recebe auxílio-moradia de mais de 4 mil reais mensais da Câmara dos Deputados, mesmo morando em um apartamento que pertence à esposa em Brasília", criticou Boulos em sua página no Twitter

Líder do MTST e provável candidato a presidente pelo PSOL, Guilherme Boulos, criticou o deputado Rubens Bueno (PPS-PR), relator do projeto que tenta limitar os "penduricalhos" nos salários de servidores, por receber auxílio-moradia da Câmara mesmo morando em um flat em nome da esposa; "Hipócritas julgando hipócritas. O relator do projeto que deveria acabar com os privilégios também recebe auxílio-moradia de mais de 4 mil reais mensais da Câmara dos Deputados, mesmo morando em um apartamento que pertence à esposa em Brasília", criticou Boulos em sua página no Twitter
Líder do MTST e provável candidato a presidente pelo PSOL, Guilherme Boulos, criticou o deputado Rubens Bueno (PPS-PR), relator do projeto que tenta limitar os "penduricalhos" nos salários de servidores, por receber auxílio-moradia da Câmara mesmo morando em um flat em nome da esposa; "Hipócritas julgando hipócritas. O relator do projeto que deveria acabar com os privilégios também recebe auxílio-moradia de mais de 4 mil reais mensais da Câmara dos Deputados, mesmo morando em um apartamento que pertence à esposa em Brasília", criticou Boulos em sua página no Twitter (Foto: Aquiles Lins)

247 - O líder do MTST e provável candidato a presidente pelo PSOL, Guilherme Boulos, criticou o deputado Rubens Bueno (PPS-PR), relator do projeto que tenta limitar os "penduricalhos" nos salários de servidores, por receber auxílio-moradia de R$ 4 253,00 da Câmara mesmo morando em um flat que pertence à esposa em Brasília. 

"Hipócritas julgando hipócritas. O relator do projeto que deveria acabar com os privilégios também recebe auxílio-moradia de mais de 4 mil reais mensais da Câmara dos Deputados, mesmo morando em um apartamento que pertence à esposa em Brasília", criticou Boulos em sua página no Twitter. 

O relator reconheceu que é preciso acabar com esse "penduricalho" e disse que vai manter apenas o desembolso mediante comprovante de pagamento de aluguel. "Todos os problemas estão aflorando, inclusive o meu", afirmou.

O imóvel em nome da esposa do deputado é um apartamento de 44,96 metros quadrados de área privativa no Setor Hoteleiro Norte, em Brasília. A área total que consta no registro do imóvel é de 72,30 metros quadrados.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247