Braga pode assumir governo do Amazonas no primeiro semestre

Sem efeito suspensivo contra a decisão do TRE/AM que cassou o mandato de José Melo (Pros), por compra de votos, Eduardo Braga (PMDB) assume em março; com efeito suspensivo, assume em junho ou julho, já que dificilmente a decisão será revista no TSE

eduardo braga
eduardo braga (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Depois de ser declarado cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral, pelo crime de compra de votos, o governador José Melo ainda fica no cargo pelo menos até a publicação co acórdão – documento que oficializa a decisão, com a respectiva pena. Não existe um prazo concreto para que isso ocorra, mas estima-se que não demore mais de 30 dias.

Publicado o acórdão, a defesa pode apresentar embargos de declaração, tentando esclarecer pontos da sentença e manter Melo no cargo até o julgamento na instância superior – no caso, o Tribunal Superior Eleitoral. O pleno do TRE então volta a se reunir para julgar os embargos. Se não acatarem o chamado “efeito suspensivo”, os juízes decretam o afastamento e a posse imediata do segundo colocado – no caso, Eduardo Braga.

Acatados os embargos, o processo sobe para o Tribunal Superior Eleitoral e Melo continua no cargo até o julgamento naquela corte.

No primeiro caso, do julgamento dos embargos, espera-se uma decisão até meados de março. Embargos acatados, estima-se que leve mais três ou quatro meses para que ocorra o julgamento no TSE.

Em resumo: sem efeito suspensivo, Eduardo Braga assume em março. Com efeito suspensivo, assume em junho ou julho, já que dificilmente a decisão será revista no TSE, dada a robustez das provas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247