Brasil e Uruguai terão cooperação inédita na Lava Jato

Os governos de Brasil e Uruguai farão uma parceria inédita para investigar uma rede de lavagem de dinheiro descoberta a partir da Lava Jato; o esquema, que foi usado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) para esconder cerca de US$ 100 milhões em paraísos fiscais, será investigado; um dos operadores de Cabral é o advogado Oscar Algorta, envolvido em outros escândalos no Brasil e dono de 180 empresas offshore no Uruguai e no Panamá; o secretário nacional Antilavagem do Uruguai, Carlos Diaz, disse que está disposto a ceder as instalações e os acervos do órgão para os investigadores brasileiros tão logo o pedido de cooperação do Ministério Público Federal (MPF) do Brasil chegue oficialmente

www.brasil247.com - Os governos de Brasil e Uruguai farão uma parceria inédita para investigar uma rede de lavagem de dinheiro descoberta a partir da Lava Jato; o esquema, que foi usado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) para esconder cerca de US$ 100 milhões em paraísos fiscais, será investigado; um dos operadores de Cabral é o advogado Oscar Algorta, envolvido em outros escândalos no Brasil e dono de 180 empresas offshore no Uruguai e no Panamá; o secretário nacional Antilavagem do Uruguai, Carlos Diaz, disse que está disposto a ceder as instalações e os acervos do órgão para os investigadores brasileiros tão logo o pedido de cooperação do Ministério Público Federal (MPF) do Brasil chegue oficialmente
Os governos de Brasil e Uruguai farão uma parceria inédita para investigar uma rede de lavagem de dinheiro descoberta a partir da Lava Jato; o esquema, que foi usado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) para esconder cerca de US$ 100 milhões em paraísos fiscais, será investigado; um dos operadores de Cabral é o advogado Oscar Algorta, envolvido em outros escândalos no Brasil e dono de 180 empresas offshore no Uruguai e no Panamá; o secretário nacional Antilavagem do Uruguai, Carlos Diaz, disse que está disposto a ceder as instalações e os acervos do órgão para os investigadores brasileiros tão logo o pedido de cooperação do Ministério Público Federal (MPF) do Brasil chegue oficialmente (Foto: Giuliana Miranda)


247 - Os governos de Brasil e Uruguai farão uma parceria inédita para investigar uma rede de lavagem de dinheiro descoberta a partir da Lava Jato. O esquema, que foi usado pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) para esconder cerca de US$ 100 milhões em paraísos fiscais, será investigado. Um dos operadores de Cabral é o advogado Oscar Algorta, envolvido em outros escândalos no Brasil e dono de 180 empresas offshore no Uruguai e no Panamá. O secretário nacional Antilavagem do Uruguai, Carlos Diaz, disse que está disposto a ceder as instalações e os acervos do órgão para os investigadores brasileiros tão logo o pedido de cooperação do Ministério Público Federal (MPF) do Brasil chegue oficialmente. 

As informações são de reportagem de Chico Otávio em O Globo.

"A principio, a porta de entrada da cooperação é o Ministério Público Federal uruguaio, que tem uma unidade especializada no combate à lavagem, a cargo do procurador recém-empossado Luis Pacheco. Mas Diaz tem interesse em se somar ao trabalho, uma vez que é a referência da campanha desencadeada pelo governo nacional para dar mais transparência às operações financeiras.

Advogado, Carlos Diaz é um dos responsáveis pelo projeto de lei “Transparência fiscal internacional e prevenção de lavagem de ativos e financiamento ao terrorismo”, ponta de lança da campanha que pretende retirar o Uruguai definitivamente da lista de paraísos fiscais. Uma das mudanças propostas cria normas que identifiquem o beneficiário final das empresas offshore residentes no país, mudança que acaba com a cultura do sigilo usada há anos para esconder os donos do dinheiro movimentado ilegalmente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Carlos Diaz irá ao parlamento uruguaio em março para defender a aprovação do projeto. Existe, porém, lobby forte, exercido principalmente por alguns escritórios de advocacia especializados na abertura de offshores, contra a mudança."

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email