Brasil registra 1.054 novas mortes por Covid-19 e total atinge 113.358

De acordo com dados do Ministério da Saúde, o Brasil também notificou 30.355 novos casos da doença, atingindo um total de 3.532.330 infecções confirmadas

Sepultador com trajes de proteção abre covas no cemitério de Vila Formosa em São Paulo em meio à pandemia de Covid-19 08/08/2020
Sepultador com trajes de proteção abre covas no cemitério de Vila Formosa em São Paulo em meio à pandemia de Covid-19 08/08/2020 (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil registrou nesta sexta-feira 1.054 novos óbitos em decorrência da Covid-19, o que eleva o total de mortes pela doença no país a 113.358, de acordo com dados do Ministério da Saúde.

Segundo país mais afetado pelo coronavírus no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, o Brasil também notificou 30.355 novos casos da doença, atingindo um total de 3.532.330 infecções confirmadas.

Até o momento, o número de novos casos contabilizados pelo Ministério da Saúde não superou a marca de 50 mil em nenhum dia desta semana. O patamar vinha sendo ultrapassado diariamente com frequência entre terças e sextas-feiras nas semanas anteriores. Nos finais de semana e segundas, as contagens costumam ser menores em função de um atraso no processamento de testes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta sexta-feira ver uma tendência de “estabilização ou queda” na crise do coronavírus no Brasil, embora as contagens continuem elevadas e haja diferenças nos números da doença entre as regiões do país.

“De alguma forma, a situação no Brasil se estabilizou em termos de número de infecções detectadas por semana... Há uma clara tendência de queda em muitas partes do Brasil, mas também há áreas em que a doença segue muito prevalente e continua instável em sua transmissão”, disse o principal especialista em emergências da OMS, Mike Ryan, em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

“O Brasil é um país muito grande, há áreas que estão experimentando aumentos. Mas no geral, a tendência no Brasil é de estabilização ou queda. E isso precisa continuar acontecendo”, acrescentou Ryan.

ESTADOS

Estado mais afetado pela Covid-19 no Brasil, São Paulo atingiu nesta sexta as marcas de 735.960 casos e 28.155 mortes. No entanto, a pandemia também dá sinais de estar em declínio no Estado, que começa a sair do platô da curva epidemiológica, disse o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) em entrevista coletiva nesta sexta.

Apesar dos indicativos, incluindo o fato de que 88% das regiões paulistas estão na fase de flexibilização do plano de reabertura da economia e nenhuma delas se encontra na fase mais restritiva, autoridades de saúde paulista defendem que ainda é preciso cautela diante da pandemia.

“Isso não quer dizer que nós já vencemos o Covid no nosso meio. Nós conseguimos controlar. Para isso (vencer), nós precisamos realmente ter a vacina disponível, imunizar a nossa população, imunizar os brasileiros para que nós possamos, aí sim, voltar ao nosso normal”, disse o secretário de Saúde local, Jean Gorinchteyn.

Na sequência da lista por Estados divulgada pelo Ministério da Saúde aparecem a Bahia, com 229.743 infecções e 4.757 mortes, e o Rio de Janeiro, com 207.036 infecções e 15.202 óbitos. O Ceará ocupa o quarto lugar, com 202.999 casos e 8.268 óbitos.

No total, 15 Estados e o Distrito Federal já registraram pelo menos 100 mil casos da doença.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, o Brasil possui 2.670.755 pacientes recuperados da doença, além de 748.217 pessoas em acompanhamento. A taxa de letalidade da Covid-19 no país é de 3,2%.

Reportagem adicional de Stephanie Nebehay, em Genebra, e Eduardo Simões, em São Paulo

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247