Brasileiro diz que queria ser preso na Venezuela para 'conseguir repercussão'

O brasileiro Jonatan Moisés Diniz, que foi preso na Venezuela sob acusação de participar de uma organização criminosa, afirmou nesta quarta-feira (10) que a "ideia" de ser preso foi "premeditada" para ser capturado pelo governo; "Não foi um ato de desespero. Enfrentei de cara pessoas poderosas daquele país, relacionadas pelo regime. Fui justamente porque eu queria ir à cadeia, justamente para conseguir a repercussão. Eu indo para a cadeia aconteceu exatamente o que estava nos meus planos", afirmou Diniz

O brasileiro Jonatan Moisés Diniz, que foi preso na Venezuela sob acusação de participar de uma organização criminosa, afirmou nesta quarta-feira (10) que a "ideia" de ser preso foi "premeditada" para ser capturado pelo governo; "Não foi um ato de desespero. Enfrentei de cara pessoas poderosas daquele país, relacionadas pelo regime. Fui justamente porque eu queria ir à cadeia, justamente para conseguir a repercussão. Eu indo para a cadeia aconteceu exatamente o que estava nos meus planos", afirmou Diniz
O brasileiro Jonatan Moisés Diniz, que foi preso na Venezuela sob acusação de participar de uma organização criminosa, afirmou nesta quarta-feira (10) que a "ideia" de ser preso foi "premeditada" para ser capturado pelo governo; "Não foi um ato de desespero. Enfrentei de cara pessoas poderosas daquele país, relacionadas pelo regime. Fui justamente porque eu queria ir à cadeia, justamente para conseguir a repercussão. Eu indo para a cadeia aconteceu exatamente o que estava nos meus planos", afirmou Diniz (Foto: Romulo Faro)

247 - O brasileiro Jonatan Moisés Diniz, que foi preso na Venezuela sob acusação de participar de uma organização criminosa, afirmou nesta quarta-feira (10) que a "ideia" de ser preso foi "premeditada" para ser capturado pelo governo.

Em vídeo divulgado na apresentação da ONG Time to Change the Earth, em Balneário Camboriú (SC), o gaúcho de 31 anos afirmou que a intenção foi chamar atenção às ações da entidade.

"Não foi um ato de desespero. Enfrentei de cara pessoas poderosas daquele país, relacionadas pelo regime. Fui justamente porque eu queria ir à cadeia, justamente para conseguir a repercussão. Eu indo para a cadeia aconteceu exatamente o que estava nos meus planos", afirmou Diniz.

Ele ficou dez dias detido na sede do Sebin (Serviço Bolivariano de Inteligência, polícia política do chavismo) em Caracas sob a acusação de participar de uma organização criminosa. Sem informações sobre seu paradeiro, o Itamaraty chegou a considerá-lo desaparecido.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247