Caiado na mira do MPF: contrato de hospital de campanha é investigado

O procedimento tem objetivo de averiguar se há mínimas irregularidades para que se possa ser aberto um inquérito

Jair Bolsonaro e Ronaldo Caiado
Jair Bolsonaro e Ronaldo Caiado (Foto: Reprodução/Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público Federal em Goiás abriu procedimento para investigar possíveis irregularidades em contrato firmado Hospital de Campanha de Goiânia com uma organização social. A informação é coluna Crusoé. O procedimento tem objetivo de averiguar se há mínimas irregularidades para que se possa ser aberto um inquérito.

O Hospital de Campanha é de responsabilidade do governo de Ronaldo Caiado (DEM) e nesta pandemia foi colocado em funcionamento para atender especialmente pacientes contaminados com coronavírus. No documento são narradas possíveis fraudes no direcionamento de dinheiro federal destinado para o combate à pandemia.

O contrato de gestão do Hospital foi firmado com a Organização Social "Agir" e tem o valor de R$ 57 milhões. A OS Agir afirma que sempre trabalhou com transparência.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247