Arthur Lira, candidato de Bolsonaro à presidência da Câmara, é alvo de ações penais no STF e acusado de violência doméstica

O deputado Arthur Lira, candidato de Jair Blsonaro à presidência da Câmara, responde a processo de corrupção passiva no Supremo e é acusado de violência doméstica. Ex-mulher, diz que vive 24 horas por dia com medo

Arthur Lira, candidato de Bolsonaro à presidência da Câmara
Arthur Lira, candidato de Bolsonaro à presidência da Câmara (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O candidato à presidência da Câmara de Jair Bolsonaro, deputado Arthur Lira (PP-AL) é alvo de ações penais no STF (Supremo Tribunal Federal) e de uma recente acusação enviada à Vara de Violência Doméstica do Distrito Federal.

Sua ex-mulher e mãe de seus dois filhos, Jullyene Cristine Santos Lins, moveu contra ele processo em que o acusa de injúria e difamação. Jullyene afirma que vive com medo, pois sabe bem o que o Lira é capaz de fazer por dinheiro. Lira diz que as denúncias da ex-mulher são infundadas. 

Jullyene acusa o deputado de fazer discurso de ódio e chantagens emocionais para promover o afastamento dos filhos, principalmente o mais novo. 

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu em outubro que o caso fosse encaminhado para um dos Juizados de Violência Doméstica “do local dos fatos”. Lira, porém, apresentou recurso contra a decisão, que deve ser julgado pelo STF em fevereiro.

Em outra decisão do tribunal, de 2018, o deputado perdeu o registro de sua arma, uma pistola de marca Glock calibre 380, por decisão do ministro Edson Fachin, e teve que entregá-la à Polícia Federal para destruição. As informações são da jornalista Constança Rezende da Folha de S.Paulo.

O processo foi aberto em decorrência de outra ação de violência doméstica movida por Jullyene contra Lira, em que o deputado foi absolvido nove anos depois. Em 2006, ela apresentou queixa por lesão corporal contra o então deputado estadual à Polícia Civil.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email