Capacidade de Lula de transferir voto começa a tomar conta dos prognósticos

Embora algumas pesquisas já tenham apontado o potencial de migração de votos de Lula para quem ele indicar - a célebre pesquisa Datafolha de maio de 2018 dava o potencial de Lula como maior ainda que seu próprio quinhão de intenção de voto -, analistas ainda ponderam sobre a questão; depois de anunciada a vice 'composta' de Lula com Haddad e Manuela, os olhares voltam-se novamente para esse poder de transferência

Capacidade de Lula de transferir voto começa a tomar conta dos prognósticos
Capacidade de Lula de transferir voto começa a tomar conta dos prognósticos (Foto: Joao Valerio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Embora algumas pesquisas já tenham apontado o potencial de migração de votos de Lula para quem ele indicar - a célebre pesquisa Datafolha de maio de 2018 dava o potencial de Lula como maior ainda que seu próprio quinhão de intenção de voto -, analistas ainda ponderam sobre a questão. Depois de anunciada a vice 'composta' de Lula com Haddad e Manuela, os olhares voltam-se novamente para esse poder de transferência. 

"Quando o TRF-4 confirmou a condenação de Lula, em janeiro, o petista e seus aliados tinham certeza de que a prisão seria inevitável. Queriam evitar esse desfecho a todo custo, mas sabiam que seria impossível. Era só uma questão de tempo. Da mesma forma, quando o PT decidiu pela inusitada estratégia de levar a candidatura de Lula até o último minuto, todos sabiam que a indicação do vice, em algum momento, seria inevitável. Queriam evitar a todo custo o que obviamente acabaria sendo a explicitação do plano B. Mas também sabiam que era só uma questão tempo.

(...)

Para poder funcionar até aqui, a orientação petista precisava estar sustentada sobre um pilar fundamental. Lula, mesmo atrás das grades, tinha que se manter como nome competitivo nas pesquisas. Imaginava-se que, preso, ele iria cair um pouco. Mas não podia desabar. Até o momento, o PT colheu sucesso absoluto nesse aspecto. Não há sinais de que a prisão tenha arranhado a popularidade do ex-presidente. Ele lidera isolado todos o cenários de primeiro e de segundo turno. O pressuposto eleitoral disso tudo é conhecido. Trata-se da ideia mais ou menos óbvia de que maior será a capacidade de transferência de votos de Lula quanto mais próximo da eleição for a inevitável expulsão definitiva de seu nome da eleição. De preferência com comoção, vitimização e pitadas de conspiração. Essa é a grande nova questão que se coloca a partir daqui: qual é, exatamente, a capacidade de transferência de votos de Lula? No momento, impossível de responder."

Leia mais aqui. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247