Capitão Waldir diz que 'boato' sobre recuo nos cortes do MEC foi criado pelo governo

"Se o governo não sustenta o que o presidente falou na frente de cerca de 12 parlamentares, não sou eu que vou passar por mentiroso, perante a imprensa e perante a nação brasileira", disse deputado o Capitão Wagner (PROS-CE); após reunião com Jair Bolsonaro, os parlamentares disseram que o governo recuou no corte de 30% do orçamento da educação, mas o governo desmentiu os deputados

Capitão Waldir diz que 'boato' sobre recuo nos cortes do MEC foi criado pelo governo
Capitão Waldir diz que 'boato' sobre recuo nos cortes do MEC foi criado pelo governo

247 - Em discurso na tribuna da Câmara, o deputado Capitão Wagner (PROS-CE), aliado do governo Jair Bolsonaro, não escondeu que o desmentido do governo sobre o recuo dos cortes das verbas da educação provocou um desgaste na relação com o governo.

Capitão Wagner foi um dos 12 parlamentares que estavam na reunião com o presidente Bolsonaro e informaram ter presenciado o telefonema do presidente ao ministro Abraham Weintraub, cancelando o bloqueio.

"Quem criou o boato? Foi o governo, que voltou atrás e depois voltou atrás de novo. Recuou duas vezes. Espero que os demais parlamentares que estavam na reunião amanhã (quarta) possam indagar o ministro da Educação se ele recebeu ligação telefônica do presidente. Porque ou o ministro está mentindo, ou o presidente não ligou para ele. Será que o presidente forjou a ligação na nossa frente? Tenho certeza que não", disse o deputado.

Ele ainda criticou a líder do governo, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que disse que a informação era apenas um "boato".

"Se o governo não sustenta o que o presidente falou na frente de cerca de 12 parlamentares, não sou eu que vou passar por mentiroso, perante a imprensa e perante a nação brasileira", finalizou o Capitão Wagner.

E acrescenta: "Como aliado do governo, eu não vou admitir ser chamado ao Palácio do Planalto para tratar de uma questão séria como essa, presenciar o presidente da República pegar um celular, ligar para o ministro na presença de vários líderes partidários — estavam lá o líder do PROS, o líder do PV, o líder do Podemos, o líder do governo, o líder do PSL — e, com todas as letras, dizer: 'a partir de agora, o corte está suspenso'", destacou o parlamentar.

Outros deputados que estiveram na reunião com Bolsonaro também endossaram o discurso do Capitão Wagner e expressaram irritação.

"A Casa Civil e a Joice (Hasselmann) estão desmentindo o presidente da República. Eu não sou mentiroso. Eu não sou cego, nem surdo, nem mudo. Eu vi o que o presidente falou. E é o que eu te disse", afirmou o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO).

O líder do Novo, Marcel Van Hattem (RS) declarou: "Na nossa frente o presidente ligou para o ministro, disse que era uma determinação de que não haveria mais contingenciamento e ponto. Então foi isso o que presenciamos".

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247