Cardozo: escolha de novo ministro do STF está em fase final

 O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quinta (9) que os problemas enfrentados pelo governo na articulação política com o Congresso não dificultaram a indicação de um novo ministro para o Supremo Tribunal Federal (STF); segundo Cardozo, o processo de escolha, que aguarda decisão da presidenta Dilma Rousseff, está em fase final; de acordo com o ministro, há uma “demora boa” na decisão da presidente, devido a um criterioso processo de escolha

 O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quinta (9) que os problemas enfrentados pelo governo na articulação política com o Congresso não dificultaram a indicação de um novo ministro para o Supremo Tribunal Federal (STF); segundo Cardozo, o processo de escolha, que aguarda decisão da presidenta Dilma Rousseff, está em fase final; de acordo com o ministro, há uma “demora boa” na decisão da presidente, devido a um criterioso processo de escolha
 O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quinta (9) que os problemas enfrentados pelo governo na articulação política com o Congresso não dificultaram a indicação de um novo ministro para o Supremo Tribunal Federal (STF); segundo Cardozo, o processo de escolha, que aguarda decisão da presidenta Dilma Rousseff, está em fase final; de acordo com o ministro, há uma “demora boa” na decisão da presidente, devido a um criterioso processo de escolha (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse hoje (9) que os problemas enfrentados pelo governo na articulação política com o Congresso não dificultaram a indicação de um novo ministro para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo Cardozo, o processo de escolha, que aguarda decisão da presidenta Dilma Rousseff, está em fase final.

De acordo com o ministro, há uma “demora boa” na decisão da presidenta, devido a um criterioso processo de escolha. “O que existe é uma análise pormenorizada das obras, do que a pessoa faz e de toda a dimensão curricular dos que podem ser indicados para o Supremo. Ao longo de um processo, temos alternativas melhores e umas que superam outras. Isso tudo é sopesado. A decisão é da presidenta, que fará a melhor escolha para o mais importante tribunal do país”, acrescentou Cardozo.

A indicação esperada é para a vaga de Joaquim Barbosa, cuja substituição é aguardada pela Corte desde agosto do ano passado, quando ele requereu aposentadoria.

Após a indicação pela Presidência da República, o novo ministro precisa passar por sabatina na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado e ter o nome aprovado pelo plenário da Casa. Em seguida, o novo integrante é nomeado e pode ser empossado pelo Supremo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247