Cardozo: governo Bolsonaro acabou sem sequer ter começado

Ex-ministro da Justiça do governo Dilma afirmou que a nota de recuo de Jair Bolsonaro gera um forte senso de descrença em sua base de apoio. O problema inviabiliza de vez o governo, avaliou. “Aliás, não sei se o governo começou. Começou nas trapalhadas, não nas medidas, porque ele não fez absolutamente nada”. Assista

José Eduardo Cardozo e Jair Bolsonaro
José Eduardo Cardozo e Jair Bolsonaro (Foto: Agência Câmara | PR)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, em entrevista à TV 247, avaliou que o recuo de Jair Bolsonaro, que publicou uma carta escusando-se das ameaças golpistas contra o Supremo Tribunal Federal (STF), representa uma derrota “brutal” para o chefe de governo. Cardozo lembrou que Bolsonaro se vê ainda mais isolado após a carta e, inclusive, hostilizado por sua base de apoio.

Mesmo antes da nota, a “greve” dos caminhoneiros, um dia depois dos atos golpistas de 7 de setembro, já havia fracassado, com a mobilização sendo algo mais próximo de um “locaute”, observou o advogado. Sem a adesão maciça da população e sem a aceitação do Estado e do mercado, o isolamento de Bolsonaro somente se intensificou, acrescentou. 

“Acredito que as sequelas desse gesto na sua base serão brutais. As pessoas que saíram de casa, que foram aos atos e o defenderam, dizendo que iam tirar os 11 ministros do Supremo, diante de um pedido de desculpas, porque é esta a sua manifestação, perdem o mito de referência. Veem um covarde, um fraco e isto é desastroso na perspectiva do diálogo que ele tem com a sua base. Bolsonaro sai desta situação num isolamento infinitamente maior do que aquilo que ele estava”, disse.

PUBLICIDADE

Bolsonaro se encontra em um impasse que inviabiliza seu governo, avaliou Cardozo. O chefe de governo pode voltar a investir no discurso agressivo, mas não será fácil fazê-lo diante de uma base já desacreditada. “Isso provoca o jogo de dominó. Ou seja, ele pode querer voltar à radicalização, não sabemos disso. Só que um retorno à radicalização para ele, agora, também não será tranquilo, porque ele já está desacreditado perante a sua própria base. Evidentemente, esse seu gesto gera um impulso de todas as forças democráticas ainda mais contundente em relação ao seu comportamento. Sinceramente, acredito que esse governo acabou. Aliás, não sei se ele começou. Começou nas trapalhadas, não nas medidas, porque ele não fez absolutamente nada. Mas agora acho que ele acaba politicamente”, completou.

Inscreva-se na TV 247, seja membro e compartilhe:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email