Carlos Bolsonaro planeja sair de cena e mudar-se para o Texas

Vereador Carlos Bolsonaro não deve se candidatar à reeleição e cogita se mudar para o Texas. Alternativa de ir para Brasília foi praticamente descartada após o Facebook banir as páginas do Gabinete do Ódio, dirigido por ele. O clima não é favorável ao filho "pitbull" de Bolsonaro na cúpula do governo

Carlos Bolsonaro
Carlos Bolsonaro (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), investigado pela suspeita de contratação de supostos funcionários fantasmas em seu gabinete na Câmara do Rio, além de ser apontado como um dos líderes do chamado “gabinete do ódio", esquema de fake news voltado para atacar adversários políticos e opositores do governo Jair Bolsonaro, avalia desistir de se candidatar à reeleição, além de deixar o Brasil e se mudar para o Texas, onde tem amigos. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo

Nesta quinta-feira (9), Carlos usou as redes socias para publicar uma série de mensagens enigmáticas nas quais afirmativa estar realizando “um novo movimento pessoal” e que “aos poucos vou me retirando do que sempre defendi”. Postagem aconteceu 24 horas após o Facebook banir 73 contas e perfis, ligadas a Jair Bolsonaro e seus filhos, que divulgavam fake news. Segundo o Facebook, o assessor especial da Presidência e ex-assessor de Carlos, Tercio Arnaud Tomaz, seria um dos responsáveis pela movimentação das contas na plataforma. 

“O revés envolvendo Tercio foi o estopim para Carlos anunciar o seu afastamento. A interlocutores, ele tem afirmado que está decidido a não concorrer à reeleição para vereador no Rio. E, ao mesmo tempo, estuda a possibilidade de morar no Texas, nos EUA, onde tem amigos. Carlos também não descarta a possibilidade de viver em Brasília para ficar mais perto do pai, embora as recentes divergências sobre os rumos do governo o obriguem a se afastar do Planalto”, ressalta a reportagem assinada pelas jornalistas Jussara Soares e Camila Turtelli. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247