Carlos Bolsonaro volta a assumir as redes sociais do pai, diz Thaís Oyama

A linguagem utilizada pelo vereador em seus próprios perfis nas redes sociais voltou a aparecer nos perfis do pai. Desta vez, o vereador publicou na conta de Jair Bolsonaro os termos: "jegues, jumentos e leitões" e "chupão na barriga" para se referir a inimigos políticos. Entenda

Jair Bolsonaro e Carlos Bolsonaro
Jair Bolsonaro e Carlos Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vereador Carlos Bolsonaro voltou a fazer postagens no Twitter em nome do pai, Jair Bolsonaro, segundo Thaís Oyama, do UOL.

No resumo na conta de Jair Bolsonaro no Twitter do que foi assunto na live tradicional do ocupante do Palácio do Planalto de quinta-feira (13), o primeiro item se refere a "jegues, jumentos e leitões" e o segundo a "chupão na barriga". A linguagem, diz a jornalista, retrata o "indefectível estilo narrativo do vereador pelo Rio de Janeiro".

Com "jegues, jumentos e leitões", Carlos teve como objetivo fazer referência "às falas jocosas do presidente sobre repórteres em geral e integrantes da família do jornalista Matheus Leitão em especial", explica Thaís.

Já o termo "chupão na barriga" trata da briga protagonizada por Jair Bolsonaro, ainda como deputado federal pelo PP, em 2013, com o atual senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). À época, Randolfe disse ter levado um soco de Bolsonaro no estômago. O então deputado, para negar o golpe, disse que o hematoma no corpo de Randolfe deveria ser consequência de um "chupão na barriga".

Carlos Bolsonaro passou a utilizar o termo em sua conta no Twitter recentemente para falar sobre Randolfe Rodrigues.

A presença do vereador nas "dependências" do governo federal já era notória, mas com o depoimento do gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, à CPI da Covid na quinta-feira ficou ainda mais evidente. Murillo revelou que Carlos participou de uma reunião com a Pfizer para tratar da compra de vacinas, mesmo sem ocupar nenhum cargo na esfera federal do governo.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email