Carvalho defende financiamento do MST

"O dinheiro público pode e deve ser utilizado para estimular todas as formas de organização de cidadania e de produção. Seguiremos financiado. É próprio de um governo democrático financiar iniciativas que convirjam para bem da sociedade", disse o ministro da Secretaria-Geral da Presidência; ato do movimento em Brasília teve incentivo da Caixa, BNDES e Petrobras

"O dinheiro público pode e deve ser utilizado para estimular todas as formas de organização de cidadania e de produção. Seguiremos financiado. É próprio de um governo democrático financiar iniciativas que convirjam para bem da sociedade", disse o ministro da Secretaria-Geral da Presidência; ato do movimento em Brasília teve incentivo da Caixa, BNDES e Petrobras
"O dinheiro público pode e deve ser utilizado para estimular todas as formas de organização de cidadania e de produção. Seguiremos financiado. É próprio de um governo democrático financiar iniciativas que convirjam para bem da sociedade", disse o ministro da Secretaria-Geral da Presidência; ato do movimento em Brasília teve incentivo da Caixa, BNDES e Petrobras (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, afirmou nesta quarta-feira que os eventos promovidos pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) continuarão a ser financiados por estatais.

"O dinheiro público pode e deve ser utilizado para estimular todas as formas de organização de cidadania e de produção. Seguiremos financiado. É próprio de um governo democrático financiar iniciativas que convirjam para bem da sociedade", disse.

A última manifestação do MST ocorreu em Brasília há duas semanas e reuniu 15 mil participantes, segundo cálculos da Polícia, e 16 mil, de acordo com MST, durante o 6º Congresso Nacional do MST, realizado há duas semanas em Brasília. Ato foi estimado em R$ 1,6 milhão e teve incentivo da Caixa Econômica Federal, o BNDES e a Petrobras.

Movimento criticou duro o governo, mas depois foi recebido pela presidente Dilma Rousseff.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email