Caso Battisti mostra que Brasil é 'anão diplomático'

O jornalista Leandro Colon afirma que o caso Battisti se encerra como um vexame completo para o Brasil; segundo ele, o italiano, procurado pela justiça de seu país, viveu no Brasil graças ao "excesso de humanidade" dos governo democráticos do PT; mas o desfecho do caso seria algo da ordem do 'humilhante'; a tentativa amadora e desencontrada do governo Bolsonaro em exibir Battisti como um troféu foi solenemtente ignorada por Itália a Bolívia, deixando o Brasil numa condição de 'anão diplomático'

Caso Battisti mostra que Brasil é 'anão diplomático'
Caso Battisti mostra que Brasil é 'anão diplomático' (Foto: REUTERS/Nacho Doce)

247 - O jornalista Leandro Colon afirma que o caso Battisti se encerra como um vexame completo para o Brasil. Segundo ele, o italiano, procurado pela justiça de seu país, viveu no Brasil graças ao "excesso de humanidade" dos governo democráticos do PT. Mas o desfecho do caso seria algo da ordem do 'humilhante'. A tentativa amadora e desencontrada do governo Bolsonaro em exibir Battisti como um troféu foi solenemtente ignorada por Itália a Bolívia, deixando o Brasil numa condição de 'anão diplomático'. 

Em artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo, o jornalista ainda destaca que Battisti "deu um olé (digno de bons craques do seu clube de coração no Brasil) na Polícia Federal nos últimos 30 dias. Como contou a repórter Camila Mattoso, ele despistou a polícia, que tentou procurá-lo, em vão, até em um barco no rio Amazonas."

E acrescenta: "foi preso pela polícia da Bolívia nas ruas de Santa Cruz de La Sierra. O presidente Jair Bolsonaro montou uma operação para trazê-lo ao Brasil, nem que fosse por alguns minutos, e exibi-lo como troféu. O ministro Augusto Heleno, do GSI, anunciou que um avião da PF havia sido deslocado para buscar Battisti. A Itália atropelou e o levou da Bolívia."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247