Caso de militar preso com cocaína tem cacofonia de versões e explicita falha de segurança

Falhas de segurança da presidência da República preocupam membros do Planalto, após a prisão da um militar da Aeronáutica com 39 quilos de cocaína na Espanha. O avião é da FAB, que não disse que eles fariam no país europeu. Nenhum autoridade brasileira deu um relato exato sobre o que aconteceu

(Foto: Isac Nóbrega/PR)

247 - Falhas de segurança da presidência da República preocupam membros do Planalto, após a prisão da um militar da Aeronáutica com 39 quilos de cocaína na Espanha. O avião é da Força Aérea Brasileira (FAB), que não disse que eles fariam no país europeu. Nenhum autoridade brasileira deu um relato exato sobre o que aconteceu.

O presidente interino, Hamilton Mourão, afirmou na manhã de quarta que o taifeiro Manoel Silva Rodrigues fazia parte de uma tripulação que ficaria na cidade espanhola para esperar Bolsonaro voltar do Japão.

A Aeronáutica disse que eles não embarcariam no Airbus de Bolsonaro, que voltaria ao Brasil pelos EUA.

É incerto o que aconteceu em solo, sem levar em conta as motivações da equipe que ficou em Sevilha.


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247