CDHM vai apurar rebelião em centro de recuperação que deixou 7 jovens mortos

Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM) abriu procedimento para apurar as causas da rebelião registrada no Centro Socioeducativo Lar do Garoto Padre Otávio Santos, em Lagoa Seca (PB), no último dia 3, e que resultaram na morte de sete jovens internados na unidade, além de ferimentos em diversos outros adolescentes; segundo a CDHM, as denúncias recebidas apontam a superlotação do local, que possui capacidade para 44 internos e que está com 220 jovens em seu interior, como uma das causas mais prováveis da rebelião

Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM) abriu procedimento para apurar as causas da rebelião registrada no Centro Socioeducativo Lar do Garoto Padre Otávio Santos, em Lagoa Seca (PB), no último dia 3, e que resultaram na morte de sete jovens internados na unidade, além de ferimentos em diversos outros adolescentes; segundo a CDHM, as denúncias recebidas apontam a superlotação do local, que possui capacidade para 44 internos e que está com 220 jovens em seu interior, como uma das causas mais prováveis da rebelião
Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM) abriu procedimento para apurar as causas da rebelião registrada no Centro Socioeducativo Lar do Garoto Padre Otávio Santos, em Lagoa Seca (PB), no último dia 3, e que resultaram na morte de sete jovens internados na unidade, além de ferimentos em diversos outros adolescentes; segundo a CDHM, as denúncias recebidas apontam a superlotação do local, que possui capacidade para 44 internos e que está com 220 jovens em seu interior, como uma das causas mais prováveis da rebelião (Foto: Paulo Emílio)

247 - A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM) abriu procedimento para apurar as causas da rebelião registrada no Centro Socioeducativo Lar do Garoto Padre Otávio Santos, em Lagoa Seca (PB), no último dia 3, e que resultaram na morte de sete jovens internados na unidade, além de ferimentos em diversos outros adolescentes.

Segundo a CDHM, as denúncias recebidas apontam a superlotação do local, que possui capacidade para 44 internos e que está com 220 jovens em seu interior, como uma das causas mais prováveis da rebelião.

O presidente da CDHM, deputado Paulão (PT-AL) solicitou ao governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, ao Secretário de Segurança Pública estadual, Cláudio Coelho Lima, e ao promotor titular da 2ª Promotoria de Infância e Juventude do Ministério Público de Campina Grande, Raniere Silva Dantas, quais procedimentos foram para evitar novos incidentes, bem como a apuração das causas que motivaram a rebelião e a prática dos crimes do interior do complexo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247