Ceia de Natal com Lula em Curitiba terá representantes de todo o país

As 500 pessoas que irão participar da ceia de natal em solidariedade a Lula, em Curitiba, vêm de todo o Brasil; são 11 coletivos de todo o Brasil que se juntam a pessoas identificadas com o apoio a Lula, como o advogado de São Bernardo do Campo, Cleiton Coutinho, e o metalúrgico aposentado Gilberto Bittencourt

Ceia de Natal com Lula em Curitiba terá representantes de todo o país
Ceia de Natal com Lula em Curitiba terá representantes de todo o país (Foto: Ricardo Stuckert)

Da Rede Brasil Atual - Nesta segunda-feira (24), véspera de Natal, a vigília Lula Livre, em Curitiba, receberá militantes de diversas cidades do país. Eles seguem rumo à capital paranaense para celebrar o Natal de solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na sede da Polícia Federal desde 7 de abril, vítima de uma sentença marcada por rupturas de garantias constitucionais, e sem provas para as acusações de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Reportagem de André Gianocari no Seu Jornal, na TVT, na sexta-feira (21) mostrou caravanas que se organizam em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e em São Paulo para participar da ceia de Natal em frente à sede da PF, onde Lula está preso.

A funcionária pública Ana Luíza da Silva integra uma das caravanas. "É um momento de luta, de resistência, e precisamos estar juntos", diz Ana Luíza, que recebeu apoio da família para participar. Cerca de 100 pessoas compõem a caravana que sai da sede do Partido dos Trabalhadores de São Bernardo do Campo, com destino a Curitiba na tarde de segunda-feira.

O metalúrgico aposentado Gilberto Bittencourt, que também participa da caravana, levará apenas o essencial na bagagem, mas no coração o sentimento de uma experiência para toda a vida. "É um momento de união, de estar juntos, eu quero estar presente, quero entrar nessa história", afirmou.

"O ex-presidente Lula simboliza neste momento a manutenção da democracia no Brasil", afirma Cleiton Coutinho, advogado do PT de São Bernardo do Campo. "Não se trata somente de fazer uma homenagem ao ex-presidente Lula, mas de mostrar o real sentido do Natal neste momento, que é a questão da solidariedade, do amor ao próximo".

Uma outra caravana rumo a Curitiba, organizada em São Paulo, nasceu da união de 11 coletivos. "Essa atividade é uma iniciativa de um grupo de coletivos que em uma reunião recentemente resolveu participar da vigília, em prol dessa campanha. Só com uma grande mobilização para o Lula sair", afirmou Laerte Moreira dos Santos, organizador da caravana.

Ao todo mais de 500 pessoas vão participar da celebração natalina em solidariedade ao ex-presidente. Além da ceia, o Natal da vigília contará com atos culturais. "Vamos fazer um abraço para proteger o nosso presidente, mas ao mesmo tempo também para dizer que nós estamos lá e estamos fortes para enfrentar o que vier, junto com ele", diz Mônica Simões, a Moniquinha, do coletivo Flores pela Democracia.

Para o dia 1 de janeiro, os organizadores da vigília planejam um ato simbólico sobre a passagem da faixa presidencial. "O certo seria a Dilma passar a faixa para o Lula", diz Ricardo da Silva, também organizador de uma das caravanas. "O que vamos ter em Brasília é um embuste, resultado de notícias falsas, de campanha com caixa dois, a posse que nós consideramos adequada vai acontecer em Curitiba".

"Estamos enfrentando uma luta de classes e aquele que representa de fato os trabalhadores, as trabalhadoras, está lá encarcerado, porque se estivesse nas ruas no dia 1 estaria tomando posse como nosso presidente", defende Brás Marinho, presidente do PT de São Bernardo do Campo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247.Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247