Celso Amorim defende política externa de Lula e diz que é 'ignorância' compará-la com a de Bolsonaro

Em artigo publicado nesta segunda-feira (5) na Folha de S.Paulo, o ex-chanceler Celso Amorim rejeita a comparação da "diplomacia bolsonarista" com a do governo Lula

(Foto: Wilson Dias/Agencia Brasil)

247 - "Foi com surpresa que li o artigo de Fábio Zanini em que compara a diplomacia bolsonarista com a do governo Lula", escreve o chanceler da política externa altiva e ativa do ex-presidente Lula.  

"A política externa de Lula colocou o Brasil no centro do tabuleiro da política internacional, por meio de ações como a integração sul-americana, a aproximação com a África e países árabes, a criação de foros como Ibas e Brics, além de participação respeitada em foros como a OMC, a COP (mudanças climáticas), G20, e em temas como Oriente Médio e desarmamento nuclear" - atesta Amorim.  

O ex-chanceler destaca que a atuação brasileira na região latino-americana "foi ditada por uma visão não arrogante e de busca de interesses comuns".   

Em outro trecho, Amorim faz crítica contundente da "diplomacia bolsonarista": "A única estratégia do governo Bolsonaro em política internacional é a submissão total aos EUA. Até mesmo o celebrado acordo Mercosul-União Europeia corre risco ao menor aceno de contrariedade de Trump. Isso já começou a ocorrer com a desfeita acintosa imposta ao chanceler da França".  

"O apoio declarado aos governos de direita na região, além de refletir as inclinações do atual chefe de governo, se insere nesse quadro de subalternidade, assim como a atitude intervencionista em relação à Venezuela, que nos deixou à beira de uma guerra".  

Leia a íntegra

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247