Ciro diz que foi mal interpretado quando falou de Lula

O presidenciável do PDT disse que foi "mal-interpretado" ao dizer que, se eleito, colocaria o Judiciário e o Ministério Público de volta em suas "caixinhas"; "Isso é uma expressão que todo mundo conhece. Só a fraude tenta fazer esse tipo de intriga. No Brasil, está cada um trabalhando fora da sua caixa", disse o candidato em Ananindeua, no Pará, onde o candidato participou da convenção estadual do seu partido

Ciro diz que foi mal interpretado quando falou de Lula
Ciro diz que foi mal interpretado quando falou de Lula
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O candidato a presidente do PDT, Ciro Gomes, afirmou nesta quarta-feira, 25, que foi "mal-interpretado" ao dizer que, se eleito, colocaria o Judiciário e o Ministério Público de volta em suas "caixinhas". O pedetista disse também que o ex-presidente Lula só teria chance de sair da prisão se ele (Ciro) fosse eleito (leia mais).

Segundo ele, o termo caixinha foi uma figura de linguagem usada para explicar que Judiciário e Ministério Público "não podem se meter em tudo". "Isso é uma expressão que todo mundo conhece. Só a fraude tenta fazer esse tipo de intriga. No Brasil, está cada um trabalhando fora da sua caixa", disse o candidato em Ananindeua, no Pará, onde o candidato participou da convenção estadual do seu partido. 

Ciro defendeu, ainda, a necessidade de restaurar "o império da lei". "O Judiciário julga, o Legislativo legisla e o Executivo executa. Não é possível que o Judiciário queira executar. (Não é possível) que no Brasil cada prefeito esteja subordinado ao constrangimento, à humilhação de um jovem membro do Ministério Público que, ainda que de boa fé, deforme reputações, se meta onde não deve. O País não aguenta mais essa baderna", declarou pouco antes de subir ao palanque.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247