CNT adere ao golpe

Confederação Nacional do Transporte (CNT), presidida por Clésio Andrade, ex-senador pelo PMDB, declarou apoio ao processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff; entre as razões para apoiar a ruptura da ordem democrática, a CNT aponta a "incapacidade da presidente e do seu governo em solucionar a crise econômica, a falta de melhorias na área de infraestrutura rodoviária e a perda de apoio no Congresso Nacional

Confederação Nacional do Transporte (CNT), presidida por Clésio Andrade, ex-senador pelo PMDB, declarou apoio ao processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff; entre as razões para apoiar a ruptura da ordem democrática, a CNT aponta a "incapacidade da presidente e do seu governo em solucionar a crise econômica, a falta de melhorias na área de infraestrutura rodoviária e a perda de apoio no Congresso Nacional
Confederação Nacional do Transporte (CNT), presidida por Clésio Andrade, ex-senador pelo PMDB, declarou apoio ao processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff; entre as razões para apoiar a ruptura da ordem democrática, a CNT aponta a "incapacidade da presidente e do seu governo em solucionar a crise econômica, a falta de melhorias na área de infraestrutura rodoviária e a perda de apoio no Congresso Nacional (Foto: Aquiles Lins)

247 - A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou nesta quarta-feira, 13, nota em que declara apoio ao processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. 

Entre as razões para apoiar a ruptura da ordem democrática, a CNT aponta a "incapacidade da presidente e do seu governo em solucionar a crise econômica, a falta de melhorias na área de infraestrutura rodoviária e a perda de apoio no Congresso Nacional.

Leia na íntegra a nota da CNT:

"A Confederação Nacional do Transporte (CNT), após ouvir as lideranças e sua base e por decisão da maioria, declara o apoio ao impeachment da presidente Dilma Rousseff pelas seguintes razões:

- A incapacidade da presidente e do seu governo em solucionar a grave crise econômica que assola o país, com reflexos danosos ao setor transportador brasileiro e empregos.

- A incapacidade da presidente e do seu governo em promover melhorias na infraestrutura, notadamente na área rodoviária.

- A incapacidade da presidente e do seu governo na articulação política com o Congresso Nacional e, com isso, sem base de apoio, perdendo a autoridade para liderar o processo de reformas necessárias ao desenvolvimento do país.

- A incapacidade da presidente e do seu governo em transmitir confiança e atrair investimentos nacionais e estrangeiros, essenciais para a retomada do crescimento do país, gerando insegurança jurídica.

Brasília, 13 de abril de 2016.

CNT - Confederação Nacional do Transporte"

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247