Coletivo Judeus pela Democracia apoia greve geral do dia 14

Coletivo Judeus pela Democracia manifestou apoio à greve geral, marcada para esta sexta-feira (14), contra a reforma da Previdência e os retrocessos sociais e econômicos promovidos pelo governo Jair Bolsonaro: "Todas as pessoas são responsáveis umas pelas outras", destaca a instituição em nota

Coletivo Judeus pela Democracia apoia greve geral do dia 14
Coletivo Judeus pela Democracia apoia greve geral do dia 14 (Foto: Brayan Martins/ PMPA)

247 - O coletivo Judeus pela Democracia manifestou apoio à greve geral, marcada para esta sexta-feira (14), contra a reforma da Previdência e os retrocessos sociais e econômicos promovidos pelo governo Jair Bolsonaro: "Todas as pessoas são responsáveis umas pelas outras", destaca o coletivo em nota. 

"Em época em que se defendem as supostas economias que trariam uma discutível reforma da previdência, perde-se a oportunidade de debater profundamente as noções de solidariedade e de responsabilidade. Ao invés disso, promove-se um modelo individualista financeirizado, onde cada um apenas se preocupa consigo mesmo e no qual alguns poucos ganham muito, às custas de muitos que não param de perder, reforçando a lógica da enorme desigualdade social e econômica que violenta nosso país", diz trecho do texto. 

Segundo o coletivo, é necessário que "se mantenha e amplie no Brasil a solidariedade e a responsabilidade intergeracional, para que a nossa sociedade seja cada vez mais justa e fraterna, dando o necessário amparo aos mais fragilizados". "Manifestamos aqui o nosso pleno apoio à greve geral dos trabalhadores do dia 14 de junho de 2019 contra os desmontes da Previdência Social", finaliza a nota.

Leia a íntegra da nota.

Em defesa da Previdência e em apoio à Greve Geral
"Todas as pessoas são responsáveis umas pelas outras"

Em época em que se defendem as supostas economias que trariam uma discutível reforma da previdência, perde-se a oportunidade de debater profundamente as noções de solidariedade e de responsabilidade. Ao invés disso, promove-se um modelo individualista financeirizado, onde cada um apenas se preocupa consigo mesmo e no qual alguns poucos ganham muito, às custas de muitos que não param de perder, reforçando a lógica da enorme desigualdade social e econômica que violenta nosso país.

Kol Israel Arevim Zé Bazé. Essa máxima, encontrada no Talmud, pode ser traduzida literalmente da seguinte forma "todos os judeus são fiadores uns dos outros", apontando para um princípio fundante de qualquer povo: a necessidade de entender que, ao invés de ver a dívida como algo individual, uma sociedade justa deveria enxergá-la a partir dos princípios de solidariedade e de co-responsabilização. Por isso, costuma ser interpretada de forma mais ampla: todas as pessoas são responsáveis umas pelas outras. Esse princípio ético norteou, ao longo dos séculos, os membros da comunidade como um valor central, tanto para a sua sobrevivência, quanto para o seu bem estar e o seu florescimento.

Portanto, nós, como judeus brasileiros, baseados nesta ideia, expressamos a necessidade de que se mantenha e amplie no Brasil a solidariedade e a responsabilidade intergeracional, para que a nossa sociedade seja cada vez mais justa e fraterna, dando o necessário amparo aos mais fragilizados.

Manifestamos aqui o nosso pleno apoio à greve geral dos trabalhadores do dia 14 de junho de 2019 contra os desmontes da Previdência Social.

Judeus pela democracia São Paulo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247